ACM Neto anuncia cotas para serviço público de Salvador

Elaborar o projeto para implantação do programa de
cotas no serviço público municipal é a primeira grande missão do grupo de
trabalho que vai programar as comemorações pelos 125 anos da assinatura da Lei
Auréa e os dez anos da edição da lei federal que institui a obrigatoriedade do
estudo da história da África no currículo escolar do país. O decreto que cria o
grupo de trabalho foi assinado na manhã desta quarta-feira (09), pelo prefeito
ACM Neto, no Rio Vermelho.


A data escolhida para assinatura do decreto marca os dez anos da promulgação da
Lei nº 10639/2003, que implementa o estudo da História da África e da Cultura
Afro-brasileira no currículo da rede pública do Brasil. Além disso, em 2013 se
comemora os 125 anos da assinatura da Lei Áurea, que aboliu a escravatura no
Brasil; os 95 anos do Mestre Didi e o início da Década Internacional dos Povos
Afrodescentes, instituída no início deste ano pela Organização das Nações
Unidas (ONU).

O grupo, formado pelas secretarias municipais da educação, Reparação e Desenvolvimento,
Turismo e  Cultura, além da Fundação
Gregório de Matos, vai elaborar e implantar o Programa de Celebração dos
Eventos em Comemoração as Conquistas dos Afrodescentes. A solenidade de
assinatura foi na enseada do Rio Vermelho, em frente a escutura cetro da
Ancestralidade, de Deoscóredes Maximiliano dos Santos, conhecido como Mestre
Didi, escritor, artista plástico, e sacerdote baiano.

Para o prefeito ACM Neto, o conjunto de atividades que possa marcar 2013 como
um ano de fato de homenagens a nossa ancestralidade e a cultura negra. ?É comum
ouvir que Salvador é a cidade mais negra fora da África, mas não é comum a
gente cultuar e enaltecer a luta e a riqueza cultural dos nossos ancestrais. O
objetivo deste trabalho em conjunto é abrir portas e quebras paradigmas, o
primeiro dele é a criação de cotas para ocupação de funções públicas em
Salvador?, destacou.

?Este local abrigou uma antiga colônia de pescadores, estamos em um terreno
sagrado, no cetro da ancestralidade, o prefeito não poderia ter escolhido lugar
melhor para iniciação dos trabalhos deste grupo, que com certeza será um
divisor de águas para a cidade do Salvador?, comemorou o secretário da Educação
João Carlos Bacelar. Para a secretária municipal de Reparação, Ivete
Sacramento, a assinatura do decreto pode ser considerado como marco zero da
reparação.

?É muito comum falar que Salvador é a maior cidade negra fora da África, mas
não é comum falar da cultura africana, do legado que nos foi deixado e nos foi
negado desde a época que chegamos aqui. Só tenho a agradecer ao prefeito pela
oportunidade de fazer isso pelo nosso povo?, destacou.
O evento contou com a presença do cantor e compositor Carlinhos Brown; do
secretário municipal de Urbanismo e Transporte, José Carlos Aleluia, e da
Promoção Social e Combate ? Pobreza, Maurício Trindade; da superintendente da
Limpurb, Katia Alves, do presidente do Conselho Municipal das Comunidades
Negras, Marcos Sampaio, além de vereadores.

Compartilhe