Toffoli nega pedido para barrar filho de Mourão em cargo no BB

Toffoli nega pedido para barrar filho de Mourão em cargo no BB

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, negou seguimento a uma reclamação contra a promoção de Antonio Hamilton Rossell Mourão, filho do vice-presidente da República, ao cargo de assessor especial da presidência do Banco do Brasil.

Após a posse da nova gestão do banco, o filho do vice-presidente Hamilton Mourão foi promovido a assessor especial da presidência, com salário de R$ 36 mil, três vezes mais do que ganhava. Ele é funcionário de carreira da instituição, onde trabalha há 18 anos.

Em despacho, Toffoli apontou vícios processuais. Segundo o magistrado, não é cabível recorrer à Justiça, por meio de reclamação, contra uma medida da administração pública antes de esgotados os recursos na esfera administrativa.

Segundo o ministro, “especificamente quanto ao cabimento da reclamação constitucional contra omissão ou ato administrativo, incide a regra do §1º do art. 7º da Lei nº 11.417/2006, que prevê: contra omissão ou ato da administração pública, ouso da reclamação só será admitido após esgotamento das vias administrativas”.

“Em outras palavras, na reclamação contra ato administrativo por alegada violação à enunciado de súmula vinculante, o autor deve demonstrar ser titular de direito subjetivo cujo gozo pressupõe ato de autoridade, bem como comprovar ter despendido os meios colocados à disposição para reivindicá-lo administrativamente”, anotou.

No pedido, o impetrante pediu que a reclamação seja julgada procedente para decretar a “definitiva nulidade da nomeação e empossamento do Sr. Antônio Hamilton Rossell Mourão no cargo de confiança em que atualmente ocupa na Presidência do Banco do Brasil, de assessor especial do Presidente do BB, enquanto perdurar a situação de nepotismo”.

O advogado autor da petição ainda requereu que Mourão e seu filho “sejam incursados na prática de nepotismo, seja pela via direta, seja pela via cruzada, pois provada a relação de parentesco em conjunto com o nexo causal, as designações recíprocas”.

Compartilhe
Previous PDT indica apoio a Rodrigo Maia e pode enfraquecer bloco de oposição
Next Toffoli deixa para Barroso decisão sobre inquérito dos Portos

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

TSE diz que candidatura avulsa ‘compromete totalmente a segurança da eleição’

Um dia antes de o Supremo Tribunal Federal (STF) discutir a possibilidade de candidaturas avulsas, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) encaminhou nesta terça-feira, 3, à presidente do STF, ministra Cármen

Política

Tribunal garante Moro na Lava Jato

Os desembargadores da 8.ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4) negaram nesta quarta-feira, 23, quatro exceções de suspeição movidas contra o juiz Sérgio Moro, da 13.ª Vara

Política

Maioria dos ministros do TSE rejeita candidatura de Lula à Presidência

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não poderá concorrer ao Palácio do Planalto nestas eleições. Por seis votos a um, os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negaram