Ex-presidente da Apex nega ter pedido demissão e gera crise no governo

Ex-presidente da Apex nega ter pedido demissão e gera crise no governo

O novo embaraço na Apex — envolvendo a suposta queda de Alex Carreiro da presidência da agência — iniciou especulações na Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos de que o próximo a ser substituído será o próprio ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

Carreiro mostrou a deputados do PSL troca de mensagens pelo WhatsApp que comprovariam que ele não pediu demissão como informou o ministro nas suas redes sociais, mas foi forçado a deixar o cargo na Apex. Nesta quinta-feira (10/1), também procurou interlocutores no Palácio do Planalto para apresentar sua versão.

Na tarde desta quinta-feira (10) Alex Carreiro dá expediente normalmente na agência. A aliados, ele diz que continuará trabalhando até ser chamado pelo presidente Jair Bolsonaro ou até que seja publicada sua exoneração no Diário Oficial da União.

O infortúnio de Carreiro começou quando se descobriu que ele não fala inglês fluentemente, condição essencial para ocupar o cargo. Mas não foi a única razão de sua queda.

Fontes relatam que o problema começou após Letícia Catellani assumir a diretoria da agência. Ex-dirigente do PSL, ela chegou ao posto há dois dias e não teria gostado de saber que Carreiro havia demitido 15 pessoas sem consultá-la. Os dois travaram discussões na frente de servidores da Apex.

Sentindo-se desautorizado, o então presidente decidiu pedir uma reunião com Ernesto Araújo para reclamar da subordinada. Porém, ao se reunir com o ministro, descobriu que sua carta de demissão estava escrita. Carreiro teria se recusado a assinar. Na sequência, o ministro anunciou pelo Twitter que ele havia pedido o desligamento do cargo.

“O Sr. Alex Carreiro pediu-me o encerramento de suas funções como Presidente da Apex. Agradeço sua importante contribuição na transição e no início do governo. Levei ao presidente Bolsonaro o nome do embaixador Mario Vilalva, com ampla experiência em promoção de exportações, para presidente da Apex”, postou o ministro.

Segundo fontes, o presidente Jair Bolsonaro não foi avisado por Ernesto da demissão do então presidente da Apex.

Nesta quinta, o filho do presidente, Carlos Bolsonaro, foi ao Twitter para tratar do assunto. “Eu não gostaria que fosse assim, mas grande parte da imprensa MENTE constantemente se se preocupar com a informação, somente em desgastar Bolsonaro. A última foi que Bolsonaro teria indicado o 01 da Apex e que o Presidente teria o desautorizado. MENTIROSOS DESCARADOS (sic)!”, escreveu.

Se refere a versão de que foi Eduardo Bolsonaro, outro filho do presidente, quem indicou Carreiro para a Apex, o que teria sido desautorizado pelo pai presidente

Compartilhe
Previous Ariana Fehlberg é eleita presidente da Câmara de Vereadores de Porto Seguro
Next Paulo Bauer diz que foi sondado para ocupar secretaria na Casa Civil

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

ALBA: Mano Góes vai receber Comenda 02 de Julho

O compositor e compositor baiano Emmanuel Góes Boavista, de nome artístico Mano Góes, será homenageado pela Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) com a Comenda 2 de Julho, no dia 21

Municípios

Feira de Santana: Hospital da Mulher faz triagem para cirurgia de mamas nesta quinta

Dores na coluna decorrente do tamanho excessivo das mamas é a principal queixa das mulheres que sofrem de hipertrofia mamaria. Esse desconforto implica em problemas relacionados à saúde e o

Notícias

DEM assume o comando da Câmara e do Senado

Apesar de não ter as maiores bancadas na Câmara dos Deputados e no Senado, o Democratas conquistou a presidência das duas Casas, com Rodrigo Maia (RJ) e Davi Alcolumbre (AP),