China media segundo encontro entre Trump e Kim Jong-un

China media segundo encontro entre Trump e Kim Jong-un

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, devem ter um segundo encontro. A data ainda não foi definida, mas a disposição foi apresentada pelo norte-coreano em conversa com o presidente da China, Xi Jinping, durante visita a Pequim.

Os Estados Unidos e a Coreia do Norte estão em negociações para marcar uma segunda reunião de Kim-Trump. Kim concluiu ontem (9) a visita de quatro dias à China ao se reunir com Xi Jinping. A China é um dos mediadores da reunião entre Coreia do Norte e Estados Unidos.

No último domingo (5), Trump disse que os EUA e a Coreia do Norte estavam negociando o local para a realização da próxima cúpula. No primeiro encontro, em junho do ano passado, em Cingapura, ambos se comprometeram a trabalhar pela desnuclearização.

Segundo a Xinhua, agência pública de notícias da China, o norte-coreano afirmou que “continuará mantendo a postura de desnuclearização e resolvendo a questão da Península Coreana por meio do diálogo”.

Porém, a KCNA, agência pública de notícias da Coreia do Norte, informou que Kim “aumentou a preocupação”.

Compartilhe
Previous Sob críticas, Maduro assume hoje o 3º mandato presidencial
Next Mega-Sena acumula de novo e prêmio chega a R$ 12 milhões

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Após desgaste, Temer desiste de aumentar alíquota do Imposto de Renda

O presidente Michel Temer (PMDB) recuou sobre a possibilidade de aumentar as alíquotas do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF). Em nota divulgada na noite desta terça-feira (8/8), o peemedebista desistiu

Notícias

Japão vai executar 13 membros da seita Aum Shinrikyo

Treze membros da seita apocalíptica Aum Shinrikyo (verdade suprema), entre os quais o líder Shoko Asahara, devem estar a viver os últimos dias. Estão todos condenados à morte por diversos

Notícias

Rocha Loures diz à PF que relação com Temer era profissional, não de amizade

O ex-assessor da Presidência da República Rodrigo Rocha Loures (MDB-PR), atualmente em prisão domiciliar, afirmou em depoimento à Polícia Federal (PF) que, apesar de amistosa, sua relação com Michel Temer