Concentração de renda no Brasil cresceu de 2016 para 2017

Concentração de renda no Brasil cresceu de 2016 para 2017

Mesmo com o fim da recessão, a concentração de renda continuou crescendo no ano passado. Considerando a renda total domiciliar por pessoa, o Índice de Gini aumentou de 0,546 em 2016 para 0,549 em 2017 – quanto mais perto de 1,0, maior a desigualdade. Já a alta do Índice de Palma passou de 3,47 em 2016 para 3,51 em 2017.

O Índice de Palma representa a razão entre a parcela do rendimento apropriada pelos 10% das pessoas com maiores rendimentos em comparação à parcela apropriada pelos 40% com menores rendimentos. Isso significa que os rendimentos dos 20,7 milhões de brasileiros que estão no topo da pirâmide social equivalia, em 2017, a três vezes e meia da renda média dos 82,8 milhões que estão na base das faixas de rendimento.

A comparação entre dois extremos regionais, Maranhão e Santa Catarina, ilustra bem as desigualdades. O Maranhão é o estado mais pobre do país, com rendimento domiciliar por pessoa de R$ 710, na média – menos da metade da média nacional em 2017, de R$ 1.511.

O Maranhão é também o estado com maior proporção da população vivendo abaixo tanto da linha de pobreza quanto de extrema pobreza, conforme a classificação do Banco Mundial. São 54,1% dos maranhenses vivendo com menos de R$ 406 mensais por pessoa, um contingente de 3,8 milhões de pessoas. Dessas pessoas, 1,4 milhão vivem com menos de R$ 140 mensais por pessoa – um quinto da população maranhense (19,8% do total) está nessas condições.

Já Santa Catarina, onde moram 6,9 milhões de brasileiros, mesma população do Maranhão, é o estado com a menor proporção da população vivendo abaixo da linha de pobreza. Apenas 8,5% dos catarinenses vivem com menos de R$ 406 mensais por pessoas. São 600 mil pessoas. A renda média de 2017 em Santa Catarina ficou em R$ 1.805, bem abaixo dos R$ 3.087 do Distrito Federal, mas o Índice de Gini catarinense é o menor do país, com 0,421 em 2017.

Compartilhe
Previous Bolsonaro impõe novo silêncio a general Mourão

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Morreu humorista Agildo Ribeiro, aos 86 anos

O humorista Agildo Ribeiro morreu, aos 86 anos, no Rio de Janeiro, neste sábado. Nascido em 26 de abril de 1932, o ator foi um dos comediantes de maior sucesso

Economia

Contas externas registram saldo positivo pelo terceiro mês consecutivo

As contas externas brasileiras apresentaram resultado positivo pelo terceiro mês consecutivo. Em maio, houve superávit em transações correntes, que são compras e vendas de mercadorias e serviços e transferências de

Notícias

Jefferson diz que não desiste de nomeação da filha: ‘Está na mão de Deus’

Mesmo após as novas denúncias envolvendo a sua filha Cristiane Brasil, o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, disse que não pretende indicar outro nome para o Ministério do Trabalho