Zé de Abreu critica apoio de Regina Duarte a Bolsonaro: ‘Não é admissível’

Zé de Abreu critica apoio de Regina Duarte a Bolsonaro: ‘Não é admissível’

Atores e atrizes brasileiros estão em pé de guerra, assim como boa parte do país, por causa do segundo turno das eleições presidenciais, entre Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL).
Depois de a atriz Regina Duarte visitar Bolsonaro e postar uma foto ao lado dele nas redes sociais, José de Abreu criticou a colega, no Twitter, na manhã deste sábado.
“Nossos colegas, Regina Duarte, sejam artistas, técnicos, gays, lésbicas ou heteros, estamos APAVORADOS com o advento do fascismo. Ninguém mais trabalha sossegado com essa ameaça de trevas sobre nossas almas sensíveis. Não é admissível um colega de tantos anos não respeitar isso!”, escreveu o intérprete de Dodô em Segundo sol.

Essa não é a primeira vez que José de Abreu e Regina Duarte discordam nas redes sociais com relação às eleições. Ela postou no Instagram uma crítica ao ex-presidente Lula e ao PT, citando o valor da bolsa-prediário. O ator não perdoou e disse que Regina estava “esquecida” de casos de corrupção e que ela teria, inclusive, dificuldade em decorar texto.

“Oi, colega Regina. Bolsa-presidiário existe desde 1991. Sei que você é meio esquecida, não consegue decorar texto há muitos anos (inaugurou o uso de ponto eletrônico para atores na Globo), mas ‘dar um Google’ evitaria de você passar fake news do fascista que você apoia”, disse o post dele.
Patrícia Pillar 

Ainda na sexta-feira, a atriz Patrícia Pillar lamentou o apoio declarado por Regina ao capitão reformado. Ela comentou a foto que a atriz postou com o candiato no Instagram: “Com toda a admiração e respeito que tenho por você, Regina Duarte, faço a minha ponderação: de antemão, te digo que nunca fui petista, e que a minha preocupação é com o Brasil. Administrar um país tão complexo como o nosso não é fácil e muitos erros foram cometidos. Mas você acha que a solução neste momento é votar em um candidato que nunca administrou uma rua sequer? Que se apresenta como o ‘salvador da Pátria’, mas não tem o menor conhecimento sobre economia, saúde e educação? A apologia à violência que ele prega nos trará ainda mais violência. Violência esta que já pode ser sentida hoje em nossas ruas. Falo aqui principalmente das minorias, pretos, pobres, LGBTIs, índios etc”.Um governo ruim que pode ser trocado em 4 anos, mas a destruição do nosso tecido social poderá levar décadas. Pense nisso com carinho.”

Outras manifestações 
O cabelereiro Carlinhos Beauty, personalidade da cidade, também se posicionou nas redes sociais, gravando um vídeo em apio a Bolsonaro. Ao ritmo do Hino Nacional em versão samba, Carlinhos diz que Bolsonaro “é o cara” e o “homem que vai mudar o país”. Na gravação, ele pede que nordestinos, como ele, ajudem Bolsonaro a se eleger presidente. O nordeste foi a região onde Bolsonaro teve menos votos no primeiro turno.
Alguns artistas, como a atriz Luana Piovani, têm evitado declarar o voto, mas não escondem a decepção entre ter que escolher entre Haddad e Bolsonaro. Luana postou vários stories no Instagram dizendo-se em dúvida, mas deixando claro que em Bolsonaro ela não vota.
Compartilhe
Previous A partir de sábado, candidato só pode ser preso em flagrante
Next Bolsonaro diz que seu plano de privatizações agrada ao mercado

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Ipiaú: Colégio é alvo de vandalismo; salas e quadro do governador foram pichados

O Colégio Modelo Luis Eduardo Magalhães, em Ipiaú, foi alvo de vandalismo nesse final de semana. A ação foi percebida na manhã dessa segunda-feira (13), quando os funcionário da unidade

Notícias

Nova plataforma de boletos bancários registra problemas

O cronograma de implementação da nova plataforma de cobrança de boletos bancários está chegando ao fim, mas clientes reclamam de não conseguirem fazer os pagamentos. A partir de hoje (26),

Mundo

Ataques suicidas deixam pelo menos 27 mortos e 80 feridos na Nigéria

Ataques suicidas feitos nessa terça-feira por três terroristas em diferentes regiões da cidade de Mandarari, no Noroeste da Nigéria, deixaram pelo menos 27 mortos e 80 feridos, informou a imprensa