STF nega pedido do PT para ouvir Bolsonaro sobre fraude nas urnas

ADST433 BSB - 29/06/2017 - STF / DELAÇÃO - POLITICA - O STF retoma em sessão presidida éla ministra Carmen Lúcia o julgamento sobre se o ministro Edson Fachin deve continuar como relator da delação da JBS e se o ministro pode decidir monocraticamente sobre a delação, no plenário do STF, em Brasilia. FOTO: ANDRE DUSEK/ESTADAO

Ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) e ex-presidente da Corte, Cármen Lúcia negou pedido para que o presidenciável do PSL Jair Bolsonaro esclarecesse declaração sobre fraude nas urnas eletrônicas. A informação é do site Jota.

Bolsonaro questionou a confiança no sistema durante transmissão ao vivo nas redes sociais no último domingo (16/9), feita pelo candidato internado no hospital paulista Albert Einstein, onde se recupera de duas cirurgias após sofrer um atentado em Juiz de Fora (MG), durante agenda de campanha no último dia 6.

“A grande preocupação realmente não é perder no voto, é perder na fraude. Então essa possibilidade de fraude no segundo turno, talvez até no primeiro, é concreta”, declarou Bolsonaro, que é líder das pesquisas de intenção de voto para o primeiro turno e vê risco de derrota em cenários de segundo turno.

Nessa quinta (20), o PT pediu ao Supremo para o candidato do PSL ser notificado para esclarecer a declaração. Ao negar o pedido nesta sexta, a ministra Cármen Lúcia justificou que, como não há duvida na questão, não é necessária uma interpretação judicial.

“Como se comprova dos termos da petição inicial, as afirmações proferidas e que são descritas pelo interpelante com clareza dele retiram o interesse processual de verificar judicialmente o significado das manifestações feitas pelo Interpelado”, escreveu a magistrada.

Compartilhe