Magno Malta diz que ataque compensa pouco tempo de Bolsonaro no horário eleitoral

Magno Malta diz que ataque compensa pouco tempo de Bolsonaro no horário eleitoral

O senador Magno Malta (PR-ES), homem forte da campanha de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência, disse hoje que o atentado a faca contra o presidenciável transformou “um limão em uma limonada”. Segundo Malta, a grande exposição que Bolsonaro passou a ter na imprensa depois do atentado serve para compensar o pouco tempo do candidato no horário eleitoral da TV, apenas seis segundos.

“Vocês (imprensa) estão fazendo a campanha dele. Não eram seis segundos? Agora é 24 horas. Vocês estão fazendo”, disse Malta.

Questionado se o atentado teve efeito político e eleitoral positivo para a campanha, ele respondeu: “Claro que não. Mas aquilo que acharam que ia converter em um mal para destruir, matar, acabar com a vida dele e matar a esperança de muita gente, esse limão acabou virando uma limonada”.

Malta, que ontem gravou um vídeo em companhia do pastor Silas Malafaia ao lado do leito de Bolsonaro na UTI do hospital Albert Einstein, minimizou o fato de a equipe médica ter restringido as visitas à mulher e filhos do candidato e proibido outras visitas. “Na verdade não havia nenhum tipo de risco. Isso tudo é ilação”, disse.

Compartilhe
Previous Ministro do TSE barra inserção de Lula e eleva multa em caso de descumprimento
Next No hospital, Bolsonaro faz foto em que simula armas com as mãos

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Prefeitura deverá conceder mais 30 mil escrituras em Salvador até 2020

A partir deste sábado (19), a aposentada Maria Clara Silva Santos, de 63 anos, passa a ter uma nova perspectiva de futuro. Moradora do Calabar há mais de três décadas,

Política

Janot deve dividir denúncia contra Temer em quatro

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, tem indicado que deve dividir em quatro partes a denúncia que pretende apresentar ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente Michel Temer. Segundo

Política

Ataques a Lula e Fachin colocam em xeque a democracia, diz ministro

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, classificou como “ataques à democracia” o ataque a tiros contra ônibus da caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Paraná e