Inflação dos aluguéis recua na segunda prévia de julho

Inflação dos aluguéis recua na segunda prévia de julho

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), usado no reajuste dos contratos de aluguel, registrou inflação de 0,53% na segunda prévia de julho, taxa inferior ao 1,75% da segunda prévia de junho. Segundo dados divulgados hoje (18) pela Fundação Getulio Vargas (FGV), com a prévia, o IGP-M acumula taxas de inflação de 5,94% no ano e de 8,26% em 12 meses.

A queda da taxa foi puxada pelos produtos no varejo e no atacado. O Índice de Preços ao Produtor Amplo, que mede o atacado, registrou taxa de 0,52% na segunda prévia de julho. No mês anterior, a taxa foi de 2,24%.

O Índice de Preços ao Consumidor, que acompanha a variação de preços do varejo, passou de 0,99% na segunda prévia de junho para 0,39% na segunda prévia de julho.

Por outro lado, o Índice Nacional de Custo da Construção, terceiro subíndice que compõe o IGP-M, subiu de 0,48% para 0,90% no período. A segunda prévia de julho foi calculada com base em preços coletados entre os dias 21 de junho de 2018 a 10 de julho

Compartilhe
Previous Alexandre Aleluia aponta inconstitucionalidade em projeto que regula Airbnb
Next Pagamento da primeira parcela do 13º de aposentados começa em agosto

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Ministro manda PF investigar se JBS tentou “comprar” tribunais

O ministro da Justiça, Torquato Jardim, determinou nesta sexta-feira (8/9) que a Polícia Federal (PF) abra uma investigação sobre informações publicadas pela revista “Veja” que trazem indícios de que a

Notícias

José Dirceu pode ser beneficiado com aposentadoria de R$ 17 mil

A área técnica da Câmara dos Deputados está convencida de que o ex-ministro José Dirceu tem direito a receber aposentadoria como ex-deputado. Condenado a 30 anos de prisão pela Lava

Notícias

Turma do STF mantém liberdade concedida a José Dirceu

Por 3 votos a 2, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (21) manter a decisão tomada em junho que suspendeu a execução da condenação do ex-ministro