Senador Magno Malta recusa ser vice na chapa de Bolsonaro

Senador Magno Malta recusa ser vice na chapa de Bolsonaro

As investidas de Jair Bolsonaro (PSL) em uma possível parceria com o senador Magno Malta (PR) na chapa do pré-candidato à Presidência da República parecem não ter sortido efeito. Segundo informações do jornal O Globo, a assessoria de Malta afirmou nesta quarta-feira (11/7) que o parlamentar capixaba não será o vice de Bolsonaro. Ele decidiu disputar a reeleição ao Senado Federal.

De acordo com a reportagem, Bolsonaro tenta estreitar os laços com o Partido da República (PR) de Valdemar Costa Neto, condenado por suposto envolvimento no escândalo do mensalão, para aumentar o tempo de TV e contar com organização maior nos estados brasileiros.

A assessoria do senador informou ao Globo que a decisão de Magno Malta foi antecipada em entrevista ao Diário do Nordeste, na segunda-feira (9), em reunião na Assembleia Legislativa do estado do Ceará (CE). Na ocasião, o parlamentar disse ser “importante no Senado”. Na avaliação dele, Bolsonaro será presidente “com qualquer outro vice”.

Compartilhe
Previous Planalto intervém para evitar apoio do PP a Ciro nas eleições 2018
Next Moro compartilha provas da Lava Jato com a Receita Federal

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Joesley e Saud admitem que há áudios que não foram entregues à PGR

O empresário Joesley Batista e o executivo da JBS Ricardo Saud reconheceram em depoimento prestado à Procuradoria-Geral da República (PGR) que sabem de informações e possuem novos áudios que não

Municípios

Bacelar questiona dívida “impagável” de Barra do Choça

O deputado federal Bacelar (Podemos) mostrou indignação nessa sexta (15) ao ser informado pelo prefeito de Barra do Choça, Adiodato Araujo, sobre o valor da dívida herdada pela atual administração

Política

Valéria Monteiro consegue liminar para manter pré-candidatura à presidência

A jornalista mineira Valéria Monteiro conseguiu o aval do Tribunal Superior Eleitoral para continuar sonhando coma pré-candidatura à Presidência da República. Decisão do ministro Napoleão Nunes Maia Filho a um