Possível neutralidade do PSB prejudica Ciro Gomes

Possível neutralidade do PSB prejudica Ciro Gomes

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) pode adotar neutralidade no apoio à disputa presidencial. O PSB se movimentava para apoiar o presidenciável Ciro Gomes (PDT-CE), ex-integrante da legenda socialista. No entanto, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, esteve reunido com a presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), para discutir um possível apoio ao PT. As informações são do jornal O Globo.

Ainda segundo o veículo, fontes ligadas a Siqueira e à Gleysi, disseram que não houve decisão ou avanços.

Essa seria a primeira vez na historia do partido que a neutralidade seria escolhida. O deputado Júlio Delgado (PSB-MG) afirmou ao Globo: “Todo mundo sabe que eu tenho a mesma posição do Siqueira, que seria um erro a neutralidade, mas as circunstâncias podem nos levar a liberar para que cada estado faça a aliança mais conveniente. Estamos sendo atropelados pelos prazos e as circunstâncias podem nos levar a decisões que nem sempre são as que desejamos”.

Compartilhe
Previous Moro compartilha provas da Lava Jato com a Receita Federal
Next Conselho de Ética arquiva cassação de mandato de João Rodrigues

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Economia

Comissão vai investigar vantagem que JBS obteve com dólares

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu 5 processos para investigar o grupo frigorífico JBS e seu controlador, pivô das delações envolvendo o presidente da República, Michel Temer, que vieram

Economia

Ministro do Planejamento abre mão de R$ 18 mil da remuneração mensal

O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, vai abrir mão de R$ 18 mil mensais que recebe por sua participação como membro do Conselho Fiscal do Serviço Nacional

Notícias

No dia de votação da denúncia, Temer recebeu mais de 30 deputados

Com o mesmo ritual da primeira denúncia, o presidente Michel Temer (PMDB) seguiu com as portas do gabinete abertas para receber parlamentares em audiência nesta quarta-feira (18/10), quando a Comissão