Justiça nega liminares de MPF, MPE e IAB contra o BRT

Justiça nega liminares de MPF, MPE e IAB contra o BRT

A juíza federal Cíntia de Araújo Lima Lopes, da 14ª Vara da Seção Judiciária da Bahia, indeferiu os pedidos de liminares para a suspensão das obras do BRT e a nulidade do edital de licitação feitos nas ações civis públicas movidas pelo Ministério Público Federal e Estadual, e Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento Bahia (IAB-Bahia).

Em sua decisão, publicada na noite desta terça-feira, a magistrada nega as liminares, alegando que “os argumentos angariados pelo município são suficientemente relevantes para caracterizar o periculum in mora inverso, consubstanciado, em suma, em dano ao tesouro municipal e aos interesses e direitos públicos envolvidos, a serem definitivamente custeados pela população tanto em recursos do erário quanto em negação de serviços públicos essenciais, como é a mobilidade urbana, na cidade de Salvador, e que seria impossível reverter o provimento antecipado, sem que daí adviessem prejuízos de grande monta ao município, com a eventual sustação do ajuste celebrado”.

Compartilhe
Previous PF investiga publicações com ameaças a Moro em rede social
Next MPF recorre contra absolvição de Geddel por obstruir investigações

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Municípios

Homem é preso acusado de matar amante da mulher a pauladas após flagrá-los em momentos íntimos

Joilson dos Santos Maia, de 30 anos, foi preso por policiais da 16ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), com sede em Jacobina, acusado de matar o amante da

Economia

Após dois anos sem reajuste, Bolsa Família terá aumento em 2018

O governo federal pretende dar aumento real para o benefício do Bolsa Família, afirmou o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra. A ideia é reajustar o valor pela inflação e

Política

Aécio Neves rebate a PGR e diz que sua prisão seria “aberração”

A defesa do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) alegou inexistência de crime inafiançável por parte do tucano, ao rebater o segundo pedido de prisão feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR).