Temer escolhe advogado Caio Luiz de Almeida de Mello como ministro do Trabalho

Temer escolhe advogado Caio Luiz de Almeida de Mello como ministro do Trabalho

O advogado Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello será o novo ministro do trabalho, segundo informou o Palácio do Planalto, em nota oficial. Vieira de Mello assume o cargo em substituição a Helton Yomura, afastado na última quinta-feira, 5, após ter sido um dos alvos na 3ª fase da Operação Registro Espúrio, da Polícia Federal.

A operação que tem como objetivo aprofundar as investigações a respeito de organização criminosa que atua na concessão fraudulenta de registros sindicais no Ministério do Trabalho. Yomura representava o PTB no governo.

O novo ministro, que tomará posse às 15h desta terça-feira, foi vice-Presidente Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da Terceira Região, entre 2008 e 2009. Vieira de Mello é consultor do escritório de advocacia Sérgio Bermudes, que tem em seus quadros a mulher do ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes.

Desde sexta-feira, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, respondia interinamente pelo cargo.

Compartilhe
Previous Datena desiste de disputar vaga no Senado
Next França e Bélgica fazem hoje duelo técnico e tático em São Petersburgo

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Tenho cinco partidos aliados, nenhum outro pré-candidato tem dois, diz Alckmin

Criticado por aliados e correligionários pela demora em atrair outras legendas em torno de sua candidatura ao Planalto, o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) afirmou nesta quarta-feira, 20, estar em posição

Notícias

Camaçari: Prefeito toma posse como presidente da Junta Militar

O prefeito de Camaçari, Antonio Elinaldo, participou na manhã desta quarta-feira (25), da cerimônia de Juramento à Bandeira Nacional e de entrega do Certificado de Dispensa de Incorporação (CDI) aos

Política

Procurador diz que Janot mandou apagar dados do sistema da PGR

Em sessão secreta na CPI da JBS, o procurador Ângelo Goulart Villela disse ter ouvido de Eduardo Pelella, braço direito de Rodrigo Janot, que seria necessário apagar dados do sistema