STF pode julgar pedido de liberdade de Lula no próximo dia 26

STF pode julgar pedido de liberdade de Lula no próximo dia 26

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin liberou para julgamento recurso protocolado pela defesa para suspender a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O caso deve ser julgado pela Segunda Turma da Corte no dia 26 de junho, conforme sugestão do ministro. Se a condenação for suspensa como foi pedido pelos advogados, o ex-presidente poderá deixar a prisão e também se candidatar às eleições.

O ex-presidente está preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba desde o dia 7 de abril, por determinação do juiz Sérgio Moro, que ordenou a execução provisória da pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex em Guarujá (SP). A prisão foi executada com base na decisão do STF que autorizou prisões após o fim dos recursos segunda instância da Justiça.

Na petição enviada ao Supremo, a defesa do ex-presidente alega que há urgência na suspensão da condenação, porque Lula é pré-candidato à Presidência e tem seus direitos políticos cerceados ante a execução da condenação, que não é definitiva.

“Além de ver sua liberdade tolhida indevidamente, corre sério risco de ter, da mesma forma, seus direitos políticos cerceados, o que, em vista do processo eleitoral em curso, mostra-se gravíssimo e irreversível”, argumentou a defesa.

Além de Fachin, a Segunda Turma do STF é composta pelos ministros Gilmar Mendes, Ricardo Lewadowski, Dias Toffoli e Celso de Mello.

Compartilhe
Previous Cármen Lúcia assumirá Presidência da República por 12 horas
Next Câmara gasta R$ 9,9 milhões com aluguel de aeronaves

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Após perícia, juiz pode rever prisão de Maluf

O juiz da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal Bruno Macacari pode decidir nesta terça-feira (26/12) se o deputado Paulo Maluf (PP-SP) vai permanecer no Complexo Penitenciário da Papuda,

Notícias

Pizza? Conselho de Ética da Câmara arquiva dois processos contra deputado Wladimir Costa

Conselho de Ética da Câmara dos Deputados arquivou na tarde desta terça-feira, 5, duas representações contra Wladimir Costa (SD-PA), conhecido nacionalmente por ter feito uma tatuagem temporária em homenagem ao

Notícias

MP e Judiciário representam 80% do foro privilegiado

Integrantes do Judiciário e do Ministério Público representam 79,2% das autoridades com foro especial por prerrogativa de função no País, segundo estudo realizado pela Consultoria Legislativa do Senado. O documento