STF marca julgamento de Gleisi para a próxima terça-feira

STF marca julgamento de Gleisi para a próxima terça-feira

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para a próxima terça-feira, dia 19, o julgamento de uma ação penal contra a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o marido, o ex-ministro Paulo Bernardo. Presidente nacional do PT, Gleisi é acusada de receber 1 milhão de reais do esquema da Petrobras para a sua campanha ao Senado em 2010.

A petista será a segunda política a ser julgada pelo Supremo nos quatro anos de investigação da Operação Lava Jato. O primeiro, o deputado Nelson Meurer (PP-PR), foi condenado a 13 anos e 9 meses de prisão, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

No que depender da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a presidente do PT vai engrossar a lista: em manifestações finais na ação, a chefe do Ministério Público Federal pediu a condenação à prisão da petista e o pagamento de uma multa de 4 milhões de reais de indenização pelos danos.

A ação foi liberada para julgamento pelo revisor do processo, o ministro Celso de Mello, na última quinta-feira, 7. Além dele, votarão o futuro da senadora o relator, Edson Fachin, e os ministros Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli e Gilmar Mendes. Se for condenada, mas obtiver ao menos 2 dos 5 votos a seu favor, Gleisi poderá recorrer ao Plenário do Supremo.

Compartilhe
Previous CNI defende mudanças no setor elétrico para reduzir preço da energia
Next Limite de pontos na CNH pode subir de 20 para 40

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

‘Jogo democrático é difícil’, diz Toffoli ao discursar como presidente

Em seu primeiro discurso como Presidente da República em exercício, Dias Toffoli enalteceu o papel da política e dos congressistas e disse que é preciso defender os avanços da Constituição.

Política

Justiça derruba liminar e livro escrito por Eduardo Cunha poderá ser lançado

A Justiça do Rio de Janeiro derrubou a liminar que impedia a circulação de ”Diário de Cadeia”, livro escrito por um anônimo sob o pseudônimo de Eduardo Cunha, ex-presidente da

Política

Cheques devolvidos atingem o menor nível desde setembro de 2014

O número de cheques devolvidos (segunda apresentação por falta de fundos), como proporção do total de cheques movimentados, atingiu 1,83% em junho, registrando redução significativa em relação a junho de