Limite de pontos na CNH pode subir de 20 para 40

Limite de pontos na CNH pode subir de 20 para 40

O limite de pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) pode subir de 20 para 40 pontos. Nesta terça-feira (12) a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) se reúne com líderes dos motoristas para discutir a tabela de fretes rodoviários, a Advocacia-Geral da União (AGU) discutirá com deputados a Medida Provisória dos Fretes, e a Câmara dos Deputados pode votar o artigo que prevê o aumento na pontuação de suspensão da carteira de motorista.

Na semana passada, a tabela de fretes publicada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) foi criticada.As conversações a respeito de uma terceira versão da tabela de frete começaram na última sexta-feira (8), um dia após o governo federal anunciar que a segunda versão, publicada na véspera, seria suspensa. Técnicos da autarquia federal e do Ministério dos Transportes também trataram do assunto no sábado e, esta manhã, alguns representantes dos caminhoneiros estiveram na sede da ANTT, mas a reunião marcada para esta manhã acabou sendo remarcada para esta tarde.

Compartilhe
Previous STF marca julgamento de Gleisi para a próxima terça-feira
Next Deputados adiam votação do parecer sobre teto do funcionalismo

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Lewandowski mantém na prisão procurador da República infiltrado da JBS

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, negou seguimento – julgou inviável – aos Habeas Corpus 145430 e 145431, impetrados respectivamente pelas defesas do procurador da República Angelo Goulart

Política

Em convenção, Alckmin é eleito presidente do PSDB

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, foi eleito presidente do PSDB neste sábado (9/12), em votação realizada na convenção nacional da sigla, em Brasília. Candidato único, o político paulista

Notícias

STF deve rejeitar pedido para ‘sustar’ nova denúncia contra Temer

O Supremo Tribunal Federal (STF) não deve atender, em julgamento marcado para a próxima quarta-feira (20/9), ao pedido do Palácio do Planalto para suspender a nova denúncia contra o presidente