Indiana decide boicotar campeonato de xadrez no Irã pela obrigação do uso do véu

Indiana decide boicotar campeonato de xadrez no Irã pela obrigação do uso do véu

A indiana Soumya Swaminathan, ex-campeã mundial de xadrez na categoria juvenil, anunciou que não disputará um campeonato da modalidade no Irã para protestar contra a obrigação do uso do véu islâmico.

Swaminathan afirmou que o código de vestimenta do Campeonato de Xadrez da Ásia, em julho, viola seus direitos.

“Eu considero a lei iraniana que torna compulsório o uso do véu uma violação direta dos meus direitos humanos básicos, incluindo meu direito à liberdade de expressão e meu direito à liberdade de pensamento, consciência e religião”, disse.

“Diante das atuais circunstâncias, parece que a única forma de proteger meus direitos é não viajar ao Irã”, escreveu a enxadrista de 29 anos em sua página do Facebook.

Em 2016 a campeã americana de xadrez Nazi Paikidze-Barnes boicotou o Mundial em Teerã por se recusar a usar o hijab.

Em 2017, a Federação de Xadrez do Irã proibiu Dorsa Derakhshani de participar de competições sem o véu. Agora ela defende os Estados Unidos.

Desde a revolução islâmica de 1979 o Irã obriga as mulheres a utilizar o véu nos espaços públicos.

Swaminathan é a 97ª colocada no ranking mundial e a quarta melhor indiana nesta classificação.

O Campeonato de Xadrez da Ásias será disputado de 27 de julho a 4 de agosto em Hamadan.

Compartilhe
Previous Irmãos que sofriam de depressão são encontrados mortos dentro de pousada em Ipiaú
Next Audiência pública debate a redefinição do porte das escolas públicas

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Bolsonaro recua e diz que vai manter Ministério da Indústria se for eleito

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, voltou atrás da proposta de fundir o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) com o da Fazenda caso seja eleito.

Política

CVM acusa ex-executivos da Petrobras por supostas irregularidades

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) acusou formalmente oito ex-executivos da Petrobras, incluindo os ex-presidentes José Sérgio Gabrielli e Maria da Graça Foster, por supostas irregularidades na contratação de três

Notícias

Saiba quanto Jair Bolsonaro vai receber a partir de janeiro

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, terá uma das maiores remunerações da Esplanada em 2019. A partir de janeiro, o ex-capitão do Exército poderá ter um contracheque de R$ 60.236.15. As