Japão dará curso contra assédio sexual a funcionários de alto escalão

Japão dará curso contra assédio sexual a funcionários de alto escalão

O governo japonês quer sensibilizar seus funcionários de alto escalão sobre o problema do assédio sexual, oferecendo-lhes cursos sobre os comportamentos reprováveis, após um recente escândalo no Ministério das Finanças.

“Estamos preparando a instauração desse programa”, declarou nesta quinta-feira à AFP um funcionário do gabinete do primeiro-ministro Shinzo Abe.

A iniciativa pode ser aprovada a partir da próxima semana durante uma reunião presidida por Abe, que abordará “as condições de criação de uma sociedade onde brilhem todas as mulheres”, informou o jornal “Mainichi”.

Ainda não se sabe o número de funcionários que participarão dessa “formação”, mas, segundo vários jornais, a medida pode ser obrigatória para aqueles que forem candidatos a uma progressão.

O vice-ministro administrativo do Ministério das Finanças, Junichi Fukuda, viu-se obrigado a renunciar, após as acusações de assédio sexual por parte de uma jornalista de televisão. Recebeu, porém, o apoio de seu ex-chefe, o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Taro Aso.

Esta semana, outro funcionário de alto escalão encarregado das relações com a Rússia no Ministério das Relações Exteriores, foi suspenso nove meses por atos relacionados, segundo a imprensa japonesa, com um caso de assédio sexual.

O chefe da diplomacia, Taro Kono, negou-se a esclarecer os motivos da sanção, por respeito pela vida privada “da vítima”.

Compartilhe
Previous Bacelar cobra dados oficiais sobre idosos LGBTI
Next Troca de alimentos por ingressos do Camaforró começa nesta quinta

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Temer pode vetar em reforma trecho do trabalho insalubre para mulheres

O presidente da República, Michel Temer, disse, durante entrevista a rádios regionais na manhã desta segunda-feira (15/5), que a reforma trabalhista não retira direitos do trabalhador. O que há, segundo

Política

Temer defende financiamento empresarial a determinado partido ou candidato

O presidente Michel Temer defendeu o financiamento empresarial de campanhas eleitorais – hoje vedado pela legislação -, desde que as pessoas jurídicas restrinjam o apoio financeiro a um determinado partido

Notícias

Além de Lula e Dilma, Mercadante também é denunciado por obstrução de Justiça

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou nesta quarta-feira, 6, uma nova denúncia contra os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ambos do PT, desta vez por