França ameaça expulsar jovem que salvou bebê

França ameaça expulsar jovem que salvou bebê

Um tunisiano de 25 anos, responsável por salvar duas crianças – entre elas um bebê – de um incêndio em Paris, em 2015, corre o risco de ser expulso da França. O destino de Aymen Latrous, imigrante ilegal, ganhou a atenção da imprensa francesa após o caso do malinês Mamoudou Gassama, que recebeu, na semana passada, visto de residência depois de resgatar uma criança que estava prestes a cair do quarto andar de um prédio da capital.

Os dois episódios foram usados por ONGs para reclamar do governo francês, que adotou novas medidas contra a “imigração econômica”. O caso de Latrous foi lembrado ontem pelo jornal Le Parisien.

Formado em informática, ele chegou à França em 2013. Em abril de 2015, resgatou duas crianças presas em um apartamento tomado por chamas. Embora tenha sido noticiado na época, o caso não teve a mesma atenção como o de Gassama. Latrous recebeu uma medalha e solicitou sua regularização. Mas, após examinar a situação do tunisiano, a chefia de polícia da região de Val-d’Oise não só indeferiu o pedido como emitiu uma ordem de expulsão.

Na segunda-feira (4/6), sob pressão, as autoridades informaram que a expulsão foi cancelada e o caso será reexaminado. “A nova instrução de pedido de visto levará em conta o ato positivo e altruísta de Latrous”, informou a chefia de polícia de Val-d’Oise.

Compartilhe
Previous Pastor é morto por crocodilo durante batismo em lago
Next Cobertura de redes 4G chega a mais de 4 mil municípios, diz associação

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Febraban: acordo traz benefícios para sociedade, poupador e bancos

O presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Murilo Portugal, afirmou nesta terça-feira (12/12), que o acordo sobre as perdas da caderneta de poupança “traz importantes benefícios para sociedade, poupadores

Notícias

Cresce número de brasileiros sem acesso a crédito ou compras a prazo

Aumentou de 21% para 25% a parcela dos brasileiros que tentaram efetuar compras a prazo ou obter algum tipo de financiamento no último mês de maio e não conseguiram, principalmente

Mundo

Theresa May condena “ataque bárbaro” com armas químicas na Síria

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, comentou nesta segunda-feira (9/4) as reportagens sobre um “ataque bárbaro” com armas químicas na Síria, resultando na morte de civis inocentes, muitos deles,