TCM rejeita contas do ex-prefeito de Ipiaú

TCM rejeita contas do ex-prefeito de Ipiaú

O ex-prefeito de Ipiaú, Deraldino Alves de Araújo teve suas contas referentes ao exercício de 2016 rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). O julgamento ocorreu na tarde dessa quarta-feira (23). Segundo análise do TCM, o ex-prefeito extrapolou o limite máximo de 54% para gastos com pessoal, aplicando 55,58% da receita corrente líquida neste tipo de despesa, e não comprovou o pagamento de três multas que lhes foram imputadas em processos anteriores, no valor total de R$16.500,00, o que provocou a rejeição das suas contas. O relator do parecer, conselheiro Paolo Marconi, multou o gestor em R$3.500,00 por irregularidades nas contas e determinou a devolução aos cofres municipais da quantia de R$271.031,66, com recursos pessoais, pela não apresentação de quatro processos de pagamento (R$269.561,01) e despesa indevida com juros e multas (R$1.470,65). O ex-gestor, Deraldino Alves, deve recorrer da decisão.

Compartilhe
Previous Governador inaugura na cidade de Vera Cruz maior Distrito Integrado de Segurança Pública do Estado
Next Petrobras reduz preço da gasolina pelo terceiro dia consecutivo

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política 0 comentários

Marcelino Galo denuncia ao MP ameaça ambiental à Ilha do Medo

O coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista da Bahia, deputado Marcelino Galo (PT), protocolou nesta quarta-feira (15) uma representação no Ministério Público do Estado em que denuncia a aprovação, pela Câmara

Notícias

Semana terá reunião de Bolsonaro com ministros e votação do orçamento

A semana de atividades no Congresso Nacional antes do Natal deve agitar deputados e senadores. A previsão é que a votação do Orçamento 2019 ocorra entre terça-feira (18/12) e quarta

Política 0 comentários

Janot diz a parlamentares que pedirá retirada de sigilo da delação da Odebrecht

Em encontro com senadores e deputados federais, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, informou que irá pedir a retirada do sigilo das delações realizadas pelos executivos e ex-executivos da Odebrecht,