ACM Neto anuncia operações de crédito que somam US$192,5 milhões para Salvador

ACM Neto anuncia operações de crédito que somam US$192,5 milhões para Salvador

O plenário do Senado aprovou dois pedidos de contratação de operação de crédito externo para o município de Salvador. Os financiamentos totalizam US$192,5 milhões para os projetos Salvador Social, com o Banco Mundial (BIRD), e Novo Mané Dendê, com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O anúncio foi feito hoje (24) pelo prefeito ACM Neto, que comemorou a liberação dos recursos.

“Isso só foi possível porque Salvador fez seu dever de casa e está com suas contas em dia. São recursos que irão ser injetados em ações sociais na cidade, priorizando as regiões mais carentes, em projetos estratégicos”, disse o prefeito, que tem ido à Brasília praticamente semanalmente em busca de recursos para a capital baiana.

Para o projeto Salvador Social foi aprovado o empréstimo de US$125 milhões com o Bird, que serão aplicados em melhorias na eficiência do sistema de saúde, na qualidade da educação e na proteção social. Em quatro anos, o projeto irá promover um salto de qualidade destes serviços públicos para três milhões de pessoas de baixa renda que vivem na área metropolitana de Salvador.

O Salvador Social prevê um conjunto de iniciativas e metas agrupadas e integradas para saúde, educação e a assistência social, áreas temáticas do Planejamento Estratégico municipal. Está também alinhado com o Plano Plurianual para 2018-2021, que busca a melhoria da qualidade dos serviços sociais, especialmente para a primeira infância e ensino fundamental, no uso dos serviços de saúde básicos e na maior cobertura dos programas de assistência social.

Para o projeto Novo Mané Dendê, foi aprovado com o BID empréstimo de U$ 67,5 milhões, o maior investimento público da história do município de Salvador na área do Subúrbio Ferroviário. Serão beneficiados 80 mil moradores dos bairros de Santa Terezinha, Plataforma- Ilha Amarela, Itacaranha e Rio Sena, com obras de infraestrutura, drenagem, saneamento e habitação, que visam a sustentabilidade social, econômica, urbana e ambiental da região. O projeto é a primeira etapa do Programa de Saneamento Ambiental e Urbanização do Subúrbio de Salvador, e consiste na aplicação de melhorias ao longo do curso principal do Rio Mané Dendê.

A bacia do Rio Mané Dendê atravessa quatro bairros do Subúrbio e deságua na cachoeira de Oxum e Nanã, no Parque São Bartolomeu, lugar de tradição e culto das religiões afro-brasileiras. Hoje vivem na área de intervenção direta do projeto 34 mil famílias, em moradias precárias, perto de esgoto e de doenças, em terreno acidentado, com riscos de inundações e deslizamento de encostas. O rio será saneado, preservado e a área urbanizada. Serão construídas novas residências, escolas, posto de saúde, praças, parques e criadas condições para geração de oportunidades de emprego e renda.

“A aprovação desses dois projetos de financiamento é a melhor comprovação do êxito obtido pela gestão do prefeito ACM Neto ao longo desses cinco anos na condução e manutenção do equilíbrio fiscal do município”, afirmou Luiz Carreira, secretário da Casa Civil da Prefeitura

Compartilhe
Previous “O desejo da Bahia foi atendido”, diz Prates sobre a união da oposição pelo Palácio de Ondina
Next Votação no Senado de projeto de isenção do diesel está indefinida

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Haddad fala em virada e pede para que ódio não guie eleitor

A dois dias do segundo turno das eleições, o candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, usou hoje (26) as redes sociais para pedir que os eleitores não

Política

ICMS da gasolina imposto pelo PT representa maior fatia do preço do combustível baiano

A maior fatia do valor da composição do preço do combustível baiano, pelo menos 28%, volta ao Governo do Estado da Bahia em ICMS. A alíquota é idêntica a paga

Notícias

Nova Codesal é um dos destaques do Congresso de Cidades Digitais no RS

As mudanças tecnológicas realizadas na Defesa Civil de Salvador (Codesal), que tiveram início no final de 2015, foram abordadas no 1º Congresso Gaúcho de Cidades Digitais, que acontece na cidade