MP vai investigar uso do Parque de Exposições pelo MST

MP vai investigar uso do Parque de Exposições pelo MST

O Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) acatou representação do vereador Alexandre Aleluia (DEM) e abriu inquérito para investigar o uso do Parque de Exposições pelo Movimento dos Sem Terra (MST). O MP-BA quer saber os motivos pelos quais o governo baiano cedeu o equipamento público para a realização do 29º Encontro Estadual do MST na Bahia, em janeiro de 2017. De acordo com o órgão, será apurada a legalidade do ato administrativo que autorizou a medida.

“O PT vinha rotineiramente se apropriando do que é público, do estado, para uso indevido de sua máquina política. Não mais. Seja na rua, seja no campo, seja nos equipamentos públicos do estado, nós vamos a partir de agora ficar em cima. Acionar a Justiça e o Ministério Público e ensinar que a Bahia não é propriedade de partido algum”, ressaltou Alexandre Aleluia.

O vereador também reforçou que encaminhou ofício ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) e à Procuradoria Geral do Estado (PGE) solicitando apuração das condições da cessão. “O estado ainda não respondeu, mas tudo leva a crer que o espaço foi cedido ‘de graça‘, ou seja, na conta de todos nós baianos”, supõe Aleluia.

Compartilhe
Previous Decreto autoriza uso do FGTS para a compra de órtese e prótese
Next Prefeitura zera dívida antiga com Hospital Aristides Maltez

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Julgamento de Lula terá transmissão por Youtube

O julgamento de recurso do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva contra a condenação na Operação Lava-Jato envolvendo o triplex no Guarujá no próximo dia 24 será transmitido

Notícias

MPF descobre 59 telefonemas entre operadores de Cunha e Bendine

A quebra de sigilo telefônico de André Gustavo Vieira da Silva, identificado como operador do ex-presidente do Banco do Banco e da Petrobrás, Aldemir Bendine, preso na Operação Cobra  desdobramento

Notícias

Empresário diz à PF que coronel Lima arrecadava dinheiro para Temer

Em depoimento à Polícia Federal no início de abril, após a deflagração da Operação Skala, o empresário Gonçalo Torrealba, proprietário do Grupo Libra, afirmou que o coronel aposentado da Polícia