Datafolha: Pesquisa espontânea mostra índice elevado de votos brancos ou nulos

Datafolha: Pesquisa espontânea mostra índice elevado de votos brancos ou nulos

Os diretores do Instituto Datafolha, Mauro Paulino e Alessandro Janoni, dizem que a mais recente pesquisa desse instituto, divulgada na madrugada deste domingo, 15, revela que a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silvas (PT) reduziu em quatro pontos porcentuais as menções espontâneas ao petista – quando não é mostrado os nomes dos candidatos – em relação à pesquisa de janeiro.

Contudo, o que chamou mais atenção dos diretores na pesquisa espontânea foi o elevado índice de votos brancos e nulos: 21%. “Um patamar inédito em pesquisas eleitorais a seis meses do pleito”, avaliam. Além disso, os demais candidatos não crescem e a maioria dos entrevistados não cita o nome dos presidenciáveis.

Paulino e Janoni informam que essa tendência se repete nas intenções de voto estimuladas, com a apresentação dos candidatos. “Os brancos e nulos, sem Lula na disputa, são mais citados do que os líderes Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede).”

A mais recente pesquisa Datafolha, que foi feita entre quarta, 11, e sexta-feira, 13, teve como base 4.194 entrevistas em 227 municípios. A margem de erro é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa está registrada no TSE sob número BR-08510/2018.

Compartilhe
Previous No IAPI, Rui autoriza construção de Unidade Básica de Saúde para a região
Next Maioria dos eleitores acha justa prisão de Lula, mostra Datafolha

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Vaccarezza faz exame de corpo delito no IML

O ex-líder dos governos Lula e Dilma na Câmara dos Deputados, Cândido Vaccarezza fez exame de corpo delito no Instituto Médico Legal de Curitiba, na manhã deste sábado (19/8). O

Mundo

Garoto de 9 anos morre espancado pela mãe após perder o celular

Um garoto de 9 anos foi morto a pauladas pela própria mãe após ele perder o celular. Imagens de uma câmera de segurança do prédio mostram o momento em que

Política

Após saída de Bruno Araújo, Temer dará início à reforma ministerial

O Palácio do Planalto anunciou que o presidente Michel Temer vai dar início a uma reforma ministerial. A manifestação do governo ocorreu logo após a saída do tucano Bruno Araújo