Grávida, mulher que cantava sentada em show é morta a tiros por fã

Grávida, mulher que cantava sentada em show é morta a tiros por fã

Um homem foi preso na província de Sind, no Paquistão, após balear e matar uma cantora grávida durante um show. Samina Sindhu, de 28 anos, se apresentava na festa de um milionário local e teria se recusado a levantar para cantar devido ao peso da barriga, tendo em vista a gravidez de 8 meses. O criminoso, então, disparou.

A polícia da província de Sind informou, segundo a BBC, que o homem detido é o responsável pelo assassinato, ocorrido na noite de terça-feira (10/4). Apesar da prisão, os motivos do crime ainda são desconhecidos.

O mardio de Samina, Ashiq Sammoo, informou às autoridades que, durante a performance da esposa, um homem apontou uma arma para ela e ordenou, “de forma ameaçadora”, que ela se levantasse para cantar. Ao dizer que não podia fazer isso devido à gestação, Samina foi morta.

Shama Junejo, ativista dos direitos humanos, lamentou a morte da artista nas redes sociais e revelou que ela precisou continuar com a carreira mesmo à espera de um filho porque o trabalho era sua única fonte de renda. Muitos músicos também se indignaram com o assassinato.

Compartilhe
Previous Theresa May afirma que não há "alternativa praticável ao uso da força" na Síria
Next Lava -Jato impõe multa de R$ 3,6 milhões a Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Vila gastronômica traz variedade de pratos ao Festival Virada Salvador

Aroma de todos os tipos, sabores de dar água na boca e uma diversidade de pratos deliciosos estão a espera do público que for conferir o Festival Virada Salvador. A

Cotidiano

Senado aprova proposta que permite saque do FGTS a quem pede demissão

O trabalhador que pedir demissão está mais perto de poder sacar integralmente o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Um projeto de lei do Senado com esse objetivo,

Notícias

Projeto de lei do Deputado Roberto Carlos propõe um “disque-doação” de órgãos

Para mais de 1700 baianos, cada dia de vida representa uma contagem regressiva, seja para a morte ou para a vida. São pessoas que precisam de transplante de órgãos e