Heber Santana quer delegacia especial de combate à pedofilia

Heber Santana quer delegacia especial de combate à pedofilia

“Lamentavelmente a Bahia lidera os casos de pedofilia no Nordeste, praga que precisa ser combatida com rigor”, afirma o deputado estadual Heber Santana (PSC), lembrando que em 2016 a Bahia registrou 5.115 ataques de pedófilos, conforme dados do Disque Denúncia, divulgados pela Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos, vinculada ao Ministério da Justiça e Cidadania. “Mas os números são maiores, porque muitos casos não são denunciados”, disse. Visando uma estrutura organizada para combater esse tipo de crime contra crianças e adolescentes, Heber Santana apresentou indicação ao governador Rui Costa para que o executivo determine à Secretaria da Segurança Pública que seja criada a Delegacia Especializada na Prevenção, Combate e Repressão à Pedofilia em todos os municípios polos dos territórios de identidade do Estado. O Estado de São Paulo já mantém delegacia especializada no combate à pedofilia.

O deputado aponta que 90% dos violadores são conhecidos da família das vítimas, parentes e vizinhos, mas na maioria das vezes as famílias não levam às denúncias adiante por medo, por falta de estrutura e de apoio das autoridades.

“O Projeto Viver, único serviço especializado no atendimento das crianças e adolescentes vítimas de violência sexual na Bahia, está desmantelamento”, denuncia Heber, destacando que isso faz com que familiares e vítimas de violência sexual sofram os efeitos da desassistência após a suspensão de atendimentos psicoterapêuticos que eram oferecidos pelo serviço. O projeto era administrado pela Secretaria Estadual de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS).

O parlamentar, que levanta a bandeira de defesa da família e das crianças e adolescentes, enfatiza que “Pedofilia é crime, e tem que ser tratado com tal”. Heber analisa que os pedófilos se utilizam de meios eletrônicos como redes sociais, chats, blogs, e até mesmo e-mail, e através de perfis falsos, roubo de senhas, linguagem infantil, conquistam a confiança da criança, fazem chantagem emocional e usam de ardis para persuadir os menores e praticar abusos sexuais. “O Estado precisam se aparelhar para enfrentar essa realidade, com uma delegacia especializada, com agentes capacitados e equipamentos modernos”, afirma o deputado.

Heber Santana destaca ainda que a Delegacia Especializada de Repressão a Crimes contra a Criança e o Adolescente (Derca), é a única estrutura que existe no Estado nessa área, mas com competência para investigar todos os casos de violência que envolva a criança e o adolescente. “Mas não é especializada para investigar e coibir os inúmeros casos de pedologia, e não tem os aparatos necessários para dar assistências às vítimas e seus familiares”, afirma.

Compartilhe
Previous Randolfe diz que vai denunciar Marun no STF por crime de responsabilidade
Next Itatim: Bacelar cobra apuração de ameaça de prefeito armado a vereadores

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Filho de Bolsonaro propõe criminalização do comunismo

Um projeto de lei do deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) pretende criminalizar o comunismo. A proposta, apresentada no ano passado, tem o objetivo de alterar as Leis Antirracismo e Antiterrorismo para

Notícias

Serra pede exclusão de depoimentos em inquérito no STF

O senador José Serra (PSDB-SP), alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) instaurado com base na delação da Odebrecht, pediu à Corte a “exclusão de todos os documentos e

Notícias

Nova Codesal é um dos destaques do Congresso de Cidades Digitais no RS

As mudanças tecnológicas realizadas na Defesa Civil de Salvador (Codesal), que tiveram início no final de 2015, foram abordadas no 1º Congresso Gaúcho de Cidades Digitais, que acontece na cidade