Heber Santana quer delegacia especial de combate à pedofilia

Heber Santana quer delegacia especial de combate à pedofilia

“Lamentavelmente a Bahia lidera os casos de pedofilia no Nordeste, praga que precisa ser combatida com rigor”, afirma o deputado estadual Heber Santana (PSC), lembrando que em 2016 a Bahia registrou 5.115 ataques de pedófilos, conforme dados do Disque Denúncia, divulgados pela Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos, vinculada ao Ministério da Justiça e Cidadania. “Mas os números são maiores, porque muitos casos não são denunciados”, disse. Visando uma estrutura organizada para combater esse tipo de crime contra crianças e adolescentes, Heber Santana apresentou indicação ao governador Rui Costa para que o executivo determine à Secretaria da Segurança Pública que seja criada a Delegacia Especializada na Prevenção, Combate e Repressão à Pedofilia em todos os municípios polos dos territórios de identidade do Estado. O Estado de São Paulo já mantém delegacia especializada no combate à pedofilia.

O deputado aponta que 90% dos violadores são conhecidos da família das vítimas, parentes e vizinhos, mas na maioria das vezes as famílias não levam às denúncias adiante por medo, por falta de estrutura e de apoio das autoridades.

“O Projeto Viver, único serviço especializado no atendimento das crianças e adolescentes vítimas de violência sexual na Bahia, está desmantelamento”, denuncia Heber, destacando que isso faz com que familiares e vítimas de violência sexual sofram os efeitos da desassistência após a suspensão de atendimentos psicoterapêuticos que eram oferecidos pelo serviço. O projeto era administrado pela Secretaria Estadual de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS).

O parlamentar, que levanta a bandeira de defesa da família e das crianças e adolescentes, enfatiza que “Pedofilia é crime, e tem que ser tratado com tal”. Heber analisa que os pedófilos se utilizam de meios eletrônicos como redes sociais, chats, blogs, e até mesmo e-mail, e através de perfis falsos, roubo de senhas, linguagem infantil, conquistam a confiança da criança, fazem chantagem emocional e usam de ardis para persuadir os menores e praticar abusos sexuais. “O Estado precisam se aparelhar para enfrentar essa realidade, com uma delegacia especializada, com agentes capacitados e equipamentos modernos”, afirma o deputado.

Heber Santana destaca ainda que a Delegacia Especializada de Repressão a Crimes contra a Criança e o Adolescente (Derca), é a única estrutura que existe no Estado nessa área, mas com competência para investigar todos os casos de violência que envolva a criança e o adolescente. “Mas não é especializada para investigar e coibir os inúmeros casos de pedologia, e não tem os aparatos necessários para dar assistências às vítimas e seus familiares”, afirma.

Compartilhe
Previous Randolfe diz que vai denunciar Marun no STF por crime de responsabilidade
Next Itatim: Bacelar cobra apuração de ameaça de prefeito armado a vereadores

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Mundo

Pai decepa a mão direita do filho porque ele estava viciado em pornô

Um açougueiro tomou uma medida extrema na cidade de Hyderabad, Índia. Segundo informações da polícia local, Mohammad Qayyum decepou a mão direita do filho, Mohammad Khalid, 18 anos, porque o

Notícias

Startups crescem no Brasil e consolidam nova geração de empreendedores

Encontrar a solução para um problema é a grande missão de empreendedores. Seja no setor de saúde, educação, mobilidade urbana ou segurança, quando as novas ideias e as ferramentas de

Notícias

Senado aprova R$ 1,9 bilhão a estados para compensar desoneração de exportações

Após suspender a sessão do Congresso Nacional, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), retomou os trabalhos do plenário da Casa com o objetivo de votar a maior quantidade de