UE tomará ações retaliatórias se tarifas dos EUA não forem evitadas

UE tomará ações retaliatórias se tarifas dos EUA não forem evitadas

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, disse nesta segunda-feira (12/3) que prefere acabar com a disputa comercial sobre as tarifas dos Estados Unidos com conversas em vez de medidas retaliatórias. Ela reiterou, no entanto, que, caso não seja possível, a União Europeia irá considerar uma resposta à altura.

“Se essas ações unilaterais não puderem ser evitadas, então nós iremos, é claro, considerar como responder reciprocamente. Mas, por ora, colocamos ênfase nas conversas e haverá muitas oportunidades pra isso”, afirmou a chanceler.

Apresentando a nova agenda do governo em Berlim, Merkel disse que a sua gestão entrará em negociações com os EUA assim que assumir o país nesta semana.
Na última quinta-feira (8), o presidente Donald Trump assinou um decreto impondo tarifas de 25% sobre a importação de aço e de 10% sobre a de alumínio, a entrarem em vigor em 15 dias.

A UE já avisou que se o bloco não for isento das tarifas, irá colocar 2,8 bilhões de euros de impostos sobre alguns produtos americanos, desafiar a medida na Organização Mundial do Comércio (OMC) e tomar medidas para proteger as indústrias europeias.

Compartilhe
Previous MP libera R$ 190 milhões para venezuelanos refugiados no Brasil
Next Guido Mantega vira réu na Operação Zelotes

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

‘Salvação de Temer envergonha a nação’, diz deputada Luiza Maia

“Deputados comprados, absolveram Temer. Justiça partidária, condenou Lula. O Brasil vive dias angustiantes de retrocesso histórico”. Este foi o desabafo da presidente da Comissão dos Direitos da Mulher na Alba,

Política

STF afasta Aécio Neves do mandato de senador

O Supremo Tribunal Federal afastou o senador Aécio Neves (PSDB) e o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB) de seus cargos no Congresso Nacional após pedido da Procuradoria-geral da República com

Mundo

Putin vota nas eleições presidenciais

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, votou neste domingo (18) em Moscou, nas eleições presidenciais em que é claro favorito a ser reeleito para comandar o país durante outro mandato