Temer evita falar em demissão de Segovia: “Houve ajustamento”

Temer evita falar em demissão de Segovia: “Houve ajustamento”

O presidente Michel Temer negou, em entrevista à rádio Jovem Pan, que a nomeação de Fernando Segovia, exonerado do cargo de diretor-geral da Polícia Federal, tenha tido algum objetivo político. Ele afirmou que a saída de Segovia do cargo, anunciada com a migração de Raul Jungmann para o Ministério da Segurança Pública, foi “ajustada”.

“Não houve exatamente uma dispensa, houve um ajustamento de modo que o Segovia vai acabar indo para Roma […]. Foi uma coisa ajustada pelo novo ministro, que deve ter realmente a sua equipe”, disse Temer, confirmando que deu aval para a saída de Segovia do cargo. O emedebista disse que, na época, o nome de Segovia, junto com outros dois, foi trazido por cinco ou seis associações da corporação.

Segovia foi alvo de críticas por ter despachado com Temer fora de agenda oficial e por ter declarado que não havia provas contra o presidente em um inquérito conduzido pela Polícia Federal. “Ele fez um trabalho muito correto e adequado”, disse Temer. O presidente negou também que houve influência política na nomeação.

Na entrevista, o presidente afirmou que a escolha do delegado Rogério Galloro para a direção do órgão foi “meramente profissional”.

Compartilhe
Previous Comissão do Revogaço realiza primeira reunião na Câmara de Salvador
Next Adiado julgamento de habeas corpus de Lula no STJ

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Jucá é hostilizado em voo. “Estancou a sangria?”, pergunta passageira;assista

O senador Romero Jucá (PMDB-RR) foi alvo de questionamentos sobre o governo dentro de um voo e reagiu ao protesto. Ele acabou gravado e as imagens foram divulgadas no Twitter, nesta

Política 0 comentários

Oposição cobra debate e critica urgência para projeto que autoriza governo tomar empréstimo de R$ 600 milhões

A bancada de oposição criticou duramente o requerimento de urgência colocado em votação na sessão desta terça-feira, 6, para o projeto que autoriza o Executivo a contratar operação de crédito junto ao

Notícias

Barroso envia carta a Cármen Lúcia negando acusação de Gilmar Mendes

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou uma carta à presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, afirmando que deixou seu antigo escritório em 27 de junho