Temer evita falar em demissão de Segovia: “Houve ajustamento”

Temer evita falar em demissão de Segovia: “Houve ajustamento”

O presidente Michel Temer negou, em entrevista à rádio Jovem Pan, que a nomeação de Fernando Segovia, exonerado do cargo de diretor-geral da Polícia Federal, tenha tido algum objetivo político. Ele afirmou que a saída de Segovia do cargo, anunciada com a migração de Raul Jungmann para o Ministério da Segurança Pública, foi “ajustada”.

“Não houve exatamente uma dispensa, houve um ajustamento de modo que o Segovia vai acabar indo para Roma […]. Foi uma coisa ajustada pelo novo ministro, que deve ter realmente a sua equipe”, disse Temer, confirmando que deu aval para a saída de Segovia do cargo. O emedebista disse que, na época, o nome de Segovia, junto com outros dois, foi trazido por cinco ou seis associações da corporação.

Segovia foi alvo de críticas por ter despachado com Temer fora de agenda oficial e por ter declarado que não havia provas contra o presidente em um inquérito conduzido pela Polícia Federal. “Ele fez um trabalho muito correto e adequado”, disse Temer. O presidente negou também que houve influência política na nomeação.

Na entrevista, o presidente afirmou que a escolha do delegado Rogério Galloro para a direção do órgão foi “meramente profissional”.

Compartilhe
Previous Comissão do Revogaço realiza primeira reunião na Câmara de Salvador
Next Adiado julgamento de habeas corpus de Lula no STJ

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Cotidiano

MEC divulga dados parciais do Censo Escolar da Educação Básica 2017

Os resultados preliminares do Censo Escolar da Educação Básica deste ano foram divulgados hoje (8) pelo Diário Oficial da União, que publicou a portaria 1.069 do Ministério da Educação (MEC),

Notícias

MEC volta atrás em critério de oferta de EaD para ensino fundamental

O Ministério da Educação (MEC) voltou atrás e decidiu alterar o decreto publicado nesta sexta-feira(26), que estabelece as diretrizes para a educação a distância (EaD). O decreto assinado pelo presidente

Política

Angelo Coronel quer isentar policiais do ICMS na aquisição de armas, munições e coletes

Policiais militares e civis, bombeiros militares e agentes penitenciários da Bahia poderão desfrutar de isenção de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) na aquisição de armas de fogo,