Temer anuncia detalhes da criação de Ministério de Segurança Pública

Temer anuncia detalhes da criação de Ministério de Segurança Pública

O presidente Michel Temer recebeu neste domingo, no Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-Presidência da República, quatro ministros de seu gabinete para debater “assuntos variados”, de acordo com nota da Presidência da República, sem dar mais detalhes sobre o teor do encontro.

Conforme a nota, fizeram parte dos temas do encontro os desdobramentos da intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, bem como detalhes sobre o novo Ministério de Segurança Pública, cuja criação está prevista para ser anunciada formalmente pelo governo nesta segunda-feira (26).

A lista de presentes ao encontro incluiu os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria Especial da Presidência), Raul Jungmann (Defesa) e o general Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional).

O ministro da Justiça, Torquato Jardim, chegou ao Jaburu depois que a reunião já durava pelo menos uma hora. O deputado Darcísio Perondi (MDB-RS) também participou do encontro.

Compartilhe
Previous Geraldo Alckmin, à Band: "Estamos preparados para enfrentar o PT"
Next Pressão para julgar habeas corpus de Lula faz Cármen Lúcia se isolar no STF

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Alckmin diz que PT é responsável pela crise; Haddad e Boulos ligam PSDB a Temer

O candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin (PSDB), fez uma crítica aos governos do PT em sua pergunta, dizendo que eles foram responsáveis pela “grande crise” por que passa

Política

Janot desiste de concorrer a uma vaga no Conselho Superior do MPF

O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot desistiu de concorrer ao Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF). Na última semana, Janot havia comunicado aos colegas da Procuradoria-Geral da República (PGR)

Notícias

Absolvição de réus condenados em segunda instância no STJ é de 0,62%

Pesquisa da Coordenadoria de Gestão da Informação do Superior Tribunal de Justiça (STJ) aponta que em 0,62% dos recursos interpostos pelas defesas dos réus houve reforma da decisão de segunda