Luiz Silva, irmão de José Dirceu, é preso após condenação na Lava Jato

Luiz Silva, irmão de José Dirceu, é preso após condenação na Lava Jato

Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, irmão do ex-ministro José Dirceu, foi preso na manhã desta sexta-feira (9/2), em Ribeirão Preto (SP). Ele foi condenado pelo juiz Sérgio Moro por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no âmbito da Operação Lava Jato.

Luiz Silva é apontado pela Polícia Federal como auxiliar do irmão no esquema de propinas em contratos terceirizados na Petrobras, durante o governo do ex-presidente Lula. No ano passado, quando foi preso na 17ª fase da Lava Jato, ele admitiu em depoimento que recebeu “pagamentos mensais de 30 mil reais em espécie” do lobista Milton Pascowitch. Na ocasião, Silva afirmou que desconhecia a origem do dinheiro.

Ele disse à PF que afirmou a Pascowitch que “aquela situação não poderia perdurar, ainda mais pelo fato de que seu irmão havia sido preso” – em 2013 José Dirceu começou a cumprir sua condenação por corrupção de 7 anos e 11 meses de prisão, no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. O irmão de Dirceu será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória de Ribeirão, após a realização de exames de corpo de delito no Instituto Médico Legal.

 

Compartilhe
Previous STJ vota revogação da prisão domiciliar de Adriana Ancelmo
Next Vendas no varejo crescem 2% em 2017, aponta o IBGE

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Music

Daniela elogia Festival Virada: “vocação de Salvador é música e Turismo”

  Em coletiva à imprensa, antes da sua apresentação no último dia do Festival Virada, nesta segunda-feira (1), Daniela Mercury elogiou a realização do evento e revelou estar lisonjeada em

Política

Temer: decisão do TSE foi tomada de modo independente e a Justiça prevaleceu

O presidente Michel Temer disse que a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de não cassar a chapa Dilma-Temer, eleita em 2014, foi tomada “de modo independente”, após um debate

Notícias

Parecer sobre denúncia deve ser lido em 1º/8 no plenário da Câmara

Sem conseguir votar a denúncia contra o presidente Michel Temer antes do recesso parlamentar, o governo colocou o pé no freio e não mobilizou os deputados para que o parecer