Ministro do Planejamento exagera sobre balança comercial do Brasil

Ministro do Planejamento exagera sobre balança comercial do Brasil

Na semana passada, o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, concedeu entrevista ao programa É Notícia, da Rede TV!, e falou sobre suas expectativas para 2018. Também tratou da reforma da Previdência e citou dados da economia brasileira. A Lupa selecionou algumas das frases ditas pelo ministro durante a entrevista, para checar a vericidade das informações apresentadas. Veja o resultado:

“Nós tivemos, neste ano [de 2017], mais de US$ 70 bilhões de saldo da balança comercial.”
Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, ao programa É Notícia, no dia 29 de janeiro

Os dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic) mostram que o saldo da balança comercial brasileira foi de US$ 67 bilhões em 2017, ou seja, US$ 3 bilhões a menos do que o informado pelo ministro. No ano passado, o Brasil exportou aproximadamente US$ 217 bilhões em produtos. Minério de ferro, petróleo e açúcar foram os itens que mais aumentaram em exportação. No total, o Brasil importou cerca de US$ 150 bilhões.

Desde 2011, as exportações brasileiras não cresciam. Já as importações não aumentavam desde 2015.

Procurado, o ministro não retornou.

Agência Brasil

“A despesa com Previdência cresce R$ 30 bilhões a R$ 40 bilhões ao ano.”
Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, no encontro E agora, Brasil?, no dia 30 de janeiro

É fato que o gasto federal com a Previdência cresce a cada ano. De 2015 para 2016, houve um aumento de R$ 41,6 bilhões. De 2016 para 2017, R$ 44,5 bilhões. Mas, entre 2009 e 2015, em média, os gastos com a Previdência aumentavam R$ 21,8 bilhões ao ano. Os dados constam nos Relatórios Resumidos de Execução Orçamentária.

Procurado, o ministro não retornou.

Elza Fiúza/ Agência Brasil Pin this!

Elza Fiúza/ Agência Brasil

“A gente já tem estados aqui que estão gastando mais com aposentado do que com o pessoal ativo.”
Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, no programa É Notícia, no dia 29 de janeiro

Divulgado em dezembro de 2017, o Boletim de Finanças dos Entes Subnacionais reúne dados de 2016 sobre a despesa de cada estado com pessoal ativo e inativo. O documento mostra que o Rio Grande do Sul é o único estado que gastou mais com inativos do que com ativos. Em apenas duas outras unidades da Federação, Rio de Janeiro e Minas Gerais, o gasto com inativos ultrapassa 50% do gasto com ativos.

Procurado, o ministro não retornou.

VALDECIR GALOR/SMCSPin this!

VALDECIR GALOR/SMCS

“Fechamos [2017] em 12,2% [a taxa de desemprego].”
Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, no programa É Notícia, no dia 29 de janeiro No quarto trimestre de 2017, a taxa de desemprego fechou em 11,8%, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNADC/M), divulgada no dia 31 de janeiro. O número de desempregados é estável em relação ao final do ano passado: 12,3 milhões. Ao longo do ano, o número de pessoas sem ocupação chegou a atingir 14,2 milhões.

 

Compartilhe
Previous Copom decide hoje se reduz taxa básica de juros ao menor nível da história
Next 'O voto não pertence aos partidos e aos políticos', diz Marina Silva

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Faltam poucos votos para reforma da Previdência, diz líder do governo

Depois de uma reunião na residência oficial da Câmara dos Deputados, no fim da tarde desta terça-feira (30/1), o vice-líder do governo na Casa, Beto Mansur (PRB-SP), afirmou faltarem poucos votos

Política

Lula aponta em nota oficial “contradições” de Palocci

As declarações feitas pelo ex-ministro Antonio Palocci ao juiz Sergio Moro, em que foram relatadas supostas ações e práticas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante e após o

Cotidiano

MEC prorroga as inscrições do Fies 2018 até esta terça-feira

As inscrições para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) foram prorrogadas até esta terça-feira (24/7), devido a um problema no sistema do programa. As candidaturas tiveram início na segunda-feira (16).