Evangélico e governista irão a segundo turno na Costa Rica

Evangélico e governista irão a segundo turno na Costa Rica

O candidato do Partido Liberdade Nacional (PLN), Antonio Álvarez, à presidência da Costa Rica aceitou a sua derrota e cumprimentou o evangélico Fabricio Alvarado e o governista Carlos Alvarado por irem ao segundo turno.

“Parabenizo Fabricio por obter esse resultado com números tão favoráveis a ele. Também parabenizo Carlos Alvarado porque a democracia o colocou no segundo turno em vez da nossa participação política”, declarou Álvarez, que ficou em terceio lugar, com 18,8% dos votos.

Com 80,6% das urnas apuradas, Alvarado ganhou as eleições desse domingo (4) com 24,8% dos votos, seguido do jornalista Carlos Alvarado, com 21,6%, os dois longe dos 40% necessários para vencer no primeiro turno.

O segundo turno será realizado no dia 1º de abril, para que os costarriquenhos escolham o presidente que governará a partir de 8 de maio no lugar de Luis Guillermo Solís.

Um total de 3,3 milhões de eleitores foram convocados ontem às urnas para escolher o novo presidente, entre 13 candidatos, e os 57 deputados para o período 2018-2022.

Compartilhe
Previous Aliados tentam reunir Alckmin e Temer
Next PTB se reunirá para indicar nome alternativo ao de Cristiane Brasil

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Cotidiano

Termina amanhã prazo para inscrição no Fies

Amanhã (28) é o último dia para as inscrições para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), referente ao segundo semestre de 2017. Elas podem ser feitas no site http://fiesselecao.mec.gov.br. No

Política

Ministro Fachin autoriza depoimento de Ricardo Saud à CPMI da JBS

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta segunda-feira (16/10) o depoimento do executivo Ricardo Saud (imagem em destaque) à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da

Notícias

‘A esquerda tem de buscar um alinhamento’, diz ex-ministro Cardozo

O ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo avalia que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem chances de obter vitórias nas cortes superiores após a condenação em segunda instância.