Presidente do DEM em Sergipe é presa

Presidente do DEM em Sergipe é presa

A presidente do Democratas (DEM) em Sergipe, Ana Maria Alves, filha do ex-prefeito de Aracaju João Alves Filho e da senadora Maria do Carmo, foi presa preventivamente nesta sexta-feira, 1. Ana Maria é investigada por crime de peculato, formação de organização criminosa e obstrução de investigação, crimes previstos na Lei 12.850/2015.

De acordo com os promotores de Justiça, Ana Maria teria praticado atos graves na tentativa de induzir declarações e depoimentos de investigados e testemunhas durante apurações do Ministério Público.

Os promotores de Justiça e o Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap) também estão cumprindo mandados de busca e apreensão na sede do diretório regional do DEM, que coordenam as investigações desencadeadas a partir das operações Caça-Fantasma, decorrente da Antidesmonte, deflagrada no final de 2016, quando João Alves Filho deixou a prefeitura de Aracaju.

Essa não é a primeira vez que um filho do ex-prefeito de Aracaju João Alves Filho é preso. Em 2007, o filho dele, João Alves Neto, foi preso na Operação Navalha, desencadeada pela Polícia Federal. Procurados, os alvos da operação do MP não se pronunciaram.

Compartilhe
Previous AGU recorre de liminar que proibiu propaganda de reforma da Previdência
Next Datafolha: rejeição a Temer estaciona pela primeira vez desde 2016

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Para selar delação da JBS, Miller preparou material com áudio de Aécio

Marcello Miller organizou o material que, apresentado à PGR, selou a delação da JBS. A informação consta em registros feitos pelo ex-procurador. Em anotação sobre 27 de março de 2017,

Política

Com o fim do recesso parlamentar, reforma da Previdência entra na ordem do dia

A retomada das atividades legislativas no Congresso foi adiada de 2 de fevereiro para o dia 5, mas isso não significa que a semana será parada. O foco do presidente

Notícias

Andrea Neves pede para ser solta e responsabiliza o irmão Aécio

A defesa de Andrea Neves argumentou, em recurso enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), que ela não poderia ter sido presa por eventuais ilícitos cometidos pelo seu irmão, o senador