Bola fora:  Robinho é condenado a nove anos por violência sexual

Bola fora: Robinho é condenado a nove anos por violência sexual

O atacante do Atlético-MG, Robinho, foi condenado pela nona seção do Tribunal de Milão a cumprir nove anos de prisão por “violência sexual em grupo”. Segundo informações de diversos diários italianos, como o La Gazzetta Dello Sportcontra, o jogador participou de ações contra uma jovem albanesa de 22 anos. O crime teria ocorrido em uma boate da cidade italiana, em 22 janeiro de 2013. Na época, Robinho atuava pelo Milan. Como a sentença foi dada em primeira instância, ainda cabe recurso. A informação é do portal UOL.

De acordo com a reportagem, o atacante já havia sofrido a mesma acusação na Europa, quando foi preso em 2009 no período em que defendia o Manchester City, da Inglaterra, mas foi liberado sob fiança. Robinho sempre negou as acusações.

O jogador ficou livre das acusações de estupro que sofreu em janeiro de 2013, pois o serviço de investigações da coroa inglesa (CPS, sigla em inglês) decidiu que nenhuma ação deveria ser tomada, após analisar os detalhes da acusação. No final, ele foi acusado, mas sem provas.

No ano de 2014, Robinho chegou a divulgar um vídeo no canal do Santos chamando a acusação de “triste e mentirosa” e ameaçou processar a imprensa italiana por publicar informações “mentirosas”.  Na ocasião, o atacante disse que nem sequer conhecia a garota que realizou a denúncia.

Compartilhe
Previous Maioria do STF vota por restringir o foro privilegiado de deputados e senadores
Next O presidente Temer, os três PMDBs, os dois PSDBs, a reforma da Previdência e Imbassahy

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Processo contra Kannário deve ser encaminhado à Justiça de Feira de Santana

O processo movido por uma policial militar contra o cantor e vereador de Salvador Igor Kannário (PHS) deve ser encaminhado à Justiça de Feira de Santana. A determinação foi do

Política

Presidente da CCJ da Câmara marca discussão da PEC das Diretas para dia 13

Brasília, 06 – O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), decidiu marcar para a próxima terça-feira, 13, a apreciação da Proposta de Emenda

Cotidiano

TCU recomenda paralisação de 11 obras por indícios de irregularidades; uma é na Bahia

O Tribunal de Contas da União (TCU) recomendou ao Congresso Nacional a paralisação de 11 obras por indícios de irregularidades. Entre elas estão a construção da Usina Nuclear de Angra