GILMAR: ‘é preciso corrigir abusos nas delações premiadas’

GILMAR: ‘é preciso corrigir abusos nas delações premiadas’

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes disse hoje (16) que é preciso corrigir abusos na celebração de acordos de delação premiada formalizados pelo Ministério Público Federal (MPF).

O comentário do ministro foi feito após a decisão do ministro Ricardo Lewandowski, que devolveu à Procuradoria-Geral da República (PGR) acordo de colaboração do publicitário Renato Pereira, responsável por campanhas eleitorais do PMDB do Rio de Janeiro, entre elas as do ex-governador Sérgio Cabral e do atual governador, Luiz Fernando Pezão.

Ao avaliar as colaborações, Mendes disse que o Supremo discute há muito tempo o aperfeiçoamento das delações, no entanto, eventuais erros não podem contaminar o mecanismo de investigação. “É importante que eventuais erros que ocorram não contaminem o próprio instituto, porque daqui a pouco nós passamos a cogitar da sua própria extinção por conta dos abusos. É preciso corrigir os abusos”, afirmou.

O caso

Na terça-feira (14), Lewandowski devolveu à PGR pedido de homologação do acordo de Renato Pereira. Na decisão, Lewandowski pediu que algumas cláusulas sejam revistas pela PGR.

Ao negar momentaneamente o pedido para homologar a colaboração, o ministro não concordou com cláusulas que foram fechadas pela PGR durante a gestão do então procurador-geral da República Rodrigo Janot, por entender que a maioria dos benefícios não pode ser concedida pelo Ministério Público. Para Lewandowski, o perdão de penas privativas de liberdade e a suspensão do prazo prescricional somente podem ser determinadas por meio de sentença judicial.

Compartilhe
Previous Em parecer ao STF, Raquel Dodge defende prisão após condenação em 2ª instância
Next Polícia Federal vai usar biometria do eleitor para emitir passaporte

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

‘Grande parte dos partidos não vale nada’, diz Bolsonaro

O deputado Jair Bolsonaro (RJ), pré-candidato do PSL à Presidência da República, afirmou nesta terça-feira, 22, que não confia na grande maioria dos partidos políticos brasileiros e que, caso eleito,

Esportes

Brasileirão 2017: após falha, goleiro deixa jogo e vai embora de táxi

Durou apenas 45 minutos a passagem do experiente goleiro Fábio no Figueirense. Ele estreou nesta terça-feira (30/5) em partida contra o Boa, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, pela quarta

Notícias

“Não vou morrer antes de voltar a governar esse país”, diz Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez duras críticas à Operação Lava Jato, ao juiz Sérgio Moro e disse que não irá “morrer antes de voltar a governar o