Inflação para famílias com renda até 2,5 salários mínimos sobe para 2,14%

Inflação para famílias com renda até 2,5 salários mínimos sobe para 2,14%

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), que mede a variação de preços da cesta de compras de famílias com renda até 2,5 salários mínimos, registrou inflação de 0,42% em outubro. As informações foram divulgadas hoje (7), no Rio de Janeiro, pela Fundação Getulio Vargas.

A taxa é superior ao IPC-C1 de setembro (-0,25%). É também superior ao 0,33% anotado pelo Índice de Preços ao Consumidor–Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as faixas de renda.

Com a variação de outubro, o IPC-C1 acumula taxas de 1,89% no ano e de 2,14% em 12 meses. A taxa em 12 meses ainda é inferior ao IPC-BR no mesmo período (3,16%).

A alta da taxa de setembro para outubro foi puxada por cinco das oito classes de despesas que compõem o índice: habitação (subiu de -0,33% em setembro para 1,06% em outubro), alimentação (-0,77% para 0,31%), saúde e cuidados pessoais (0,03% para 0,21%), comunicação (-0,05% para 0,60%) e despesas diversas (0,27% para 0,49%).

Três grupos de despesas tiveram queda na taxa: transportes (0,18% para -0,20%), vestuário (0,63% para 0,07%) e educação, leitura e recreação (0,37% para -0,08%).

Compartilhe
Previous Polícia Federal faz operação contra desvio de R$ 200 milhões em Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália e Eunápolis
Next Trump rejeita necessidade de maior controle de posse de armas nos EUA

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Municípios

Lauro de Freitas celebra os 14 anos do Estatuto do Idoso nesta sexta-feira

Com uma programação ampla para os idosos de Lauro de Freitas a prefeitura, através da Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania (SEMDESC) realiza, nesta sexta-feira (29), ação para celebrar os

Cotidiano

Câmara aprova fim de multa a quem não portar CNH e licenciamento

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou nesta quinta-feira o projeto de lei 8.022/14, que veta a aplicação de multa e a retenção do veículo se

Notícias

TST: pontos da lei trabalhista só valem em contrato novo

Uma comissão de ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST) avalia que alguns pontos da reforma trabalhista, em vigor desde o dia 11 de novembro, valem apenas para novos contratos