PSB tem novo líder e fará mudança na CCJ para votação de denúncia

PSB tem novo líder e fará mudança na CCJ para votação de denúncia

Apesar da manobra do Palácio do Planalto de exonerar os ministros Fernando Coelho Filho (PSB-PE) e Raul Jungmann (PPS-PE) de seus cargos nesta quarta-feira (18/10), a ala oposicionista do PSB reuniu as assinaturas necessárias para a destituição da líder da sigla, Tereza Cristina (MS). Em seu lugar, assume o deputado Júlio Delgado (MG). Com a mudança, a legenda deve oficializar ainda hoje a troca de dois de seus titulares na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados. O colegiado pode votar nesta quarta o relatório sobre a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer.

O PSB retirará da comissão os deputados Danilo Forte (CE) e Fábio Garcia (MT), que votaram no colegiado pelo arquivamento da primeira denúncia contra Michel Temer. Suas cadeiras serão ocupadas pelo suplentes da comissão Danilo Cabral (PSB-PE) e Hugo Leal (PSB-RJ), que deverão votar, na segunda acusação enviada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), pelo prosseguimento do processo. Além dos parlamentares, a sigla tem outros dois titulares na CCJ: Tadeu Alencar (PE) e o próprio Julio Delgado. Ambos foram favoráveis ao andamento da denúncia na última ocasião.

Para efetuar a troca na liderança do partido, Delgado apresentou a assinatura de 19 dos 35 deputados do PSB na Câmara Federal. A exoneração dos dois ministros pernambucanos comprometeria a destituição, pois retiraria do exercício do mandato os suplentes Creuza Pereira (PE) e Severino Ninho (PE), que haviam assinado a saída de Tereza Cristina. Apenas Fernando Coelho, contudo, já havia tomado posse parlamentar.

“Vamos fazer o inverso do que aconteceu sempre que eles substituíam os outros partidos da base para poder ampliar os votos do presidente Temer dentro da CCJ”, afirmou Delgado. A suplência da comissão será ocupada pelos deputados Flavinho (PSB-SP) e Heitor Schuch (PSB-RS). Segundo o novo líder da sigla, o partido deverá agora fechar questão sobre a votação da segunda denúncia tanto no colegiado quanto no plenário. O direcionamento é que parlamentares votem pelo prosseguimento do processo.

Os deputados Tereza Cristina, Danilo Forte, Fábio Garcia e o ministro Fernando Coelho sofrem processos disciplinares e correm o risco de expulsão do partido. Os quatro votaram a favor da reforma trabalhista, contrariando a ordem do diretório nacional do PSB. Na última segunda (16), uma liminar impediu a deliberação que poderia resultar na desfiliação dos parlamentares. Uma nova reunião foi convocada para o próximo dia 26.

Compartilhe
Previous Para “acalmar” Maia, Temer avalia troca no comando do BNDES
Next Portaria do trabalho escravo faz fiscais pararem ações em 17 estados

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Raquel Dodge diz que Geddel atuou como “líder de organização criminosa”

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o ex-ministro Geddel Vieira Lima assumiu papel “líder de organização criminosa” em referência aos R$ 51 milhões

Notícias

Temer aposta em corpo a corpo no Congresso para aprovar Previdência

Depois da “ofensiva de mídia” no fim de semana com entrevistas a rádio, emissoras de TV e jornal, o presidente Michel Temer focará suas energias em um “corpo a corpo”

Notícias

Lupi diz que transferência de votos de Lula para Haddad não será fácil

O presidente do PDT, Carlos Lupi, defendeu nesta, quinta-feira, 23, que não será fácil para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato do PT à Presidência, transferir seus votos