PSB tem novo líder e fará mudança na CCJ para votação de denúncia

PSB tem novo líder e fará mudança na CCJ para votação de denúncia

Apesar da manobra do Palácio do Planalto de exonerar os ministros Fernando Coelho Filho (PSB-PE) e Raul Jungmann (PPS-PE) de seus cargos nesta quarta-feira (18/10), a ala oposicionista do PSB reuniu as assinaturas necessárias para a destituição da líder da sigla, Tereza Cristina (MS). Em seu lugar, assume o deputado Júlio Delgado (MG). Com a mudança, a legenda deve oficializar ainda hoje a troca de dois de seus titulares na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados. O colegiado pode votar nesta quarta o relatório sobre a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer.

O PSB retirará da comissão os deputados Danilo Forte (CE) e Fábio Garcia (MT), que votaram no colegiado pelo arquivamento da primeira denúncia contra Michel Temer. Suas cadeiras serão ocupadas pelo suplentes da comissão Danilo Cabral (PSB-PE) e Hugo Leal (PSB-RJ), que deverão votar, na segunda acusação enviada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), pelo prosseguimento do processo. Além dos parlamentares, a sigla tem outros dois titulares na CCJ: Tadeu Alencar (PE) e o próprio Julio Delgado. Ambos foram favoráveis ao andamento da denúncia na última ocasião.

Para efetuar a troca na liderança do partido, Delgado apresentou a assinatura de 19 dos 35 deputados do PSB na Câmara Federal. A exoneração dos dois ministros pernambucanos comprometeria a destituição, pois retiraria do exercício do mandato os suplentes Creuza Pereira (PE) e Severino Ninho (PE), que haviam assinado a saída de Tereza Cristina. Apenas Fernando Coelho, contudo, já havia tomado posse parlamentar.

“Vamos fazer o inverso do que aconteceu sempre que eles substituíam os outros partidos da base para poder ampliar os votos do presidente Temer dentro da CCJ”, afirmou Delgado. A suplência da comissão será ocupada pelos deputados Flavinho (PSB-SP) e Heitor Schuch (PSB-RS). Segundo o novo líder da sigla, o partido deverá agora fechar questão sobre a votação da segunda denúncia tanto no colegiado quanto no plenário. O direcionamento é que parlamentares votem pelo prosseguimento do processo.

Os deputados Tereza Cristina, Danilo Forte, Fábio Garcia e o ministro Fernando Coelho sofrem processos disciplinares e correm o risco de expulsão do partido. Os quatro votaram a favor da reforma trabalhista, contrariando a ordem do diretório nacional do PSB. Na última segunda (16), uma liminar impediu a deliberação que poderia resultar na desfiliação dos parlamentares. Uma nova reunião foi convocada para o próximo dia 26.

Compartilhe
Previous Para “acalmar” Maia, Temer avalia troca no comando do BNDES
Next Portaria do trabalho escravo faz fiscais pararem ações em 17 estados

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

MPF pede punição de servidores que compraram remédio chinês pelo SUS

Servidores públicos do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) serão alvo de ação de improbidade administrativa por terem autorizado a compra de um remédio chinês

Municípios

Corpo de Bombeiros nega presença de tubarão na praia do norte, em Ilhéus

A informação de que estaria ocorrendo suposta presença de tubarão na praia do Norte, em Ilhéus, neste domingo, 09, causou pânico nos moradores da região sul da Bahia, que frequentam

Notícias

Conta de luz deve ficar mais cara com acionamento de usinas térmicas

Em período de seca nos reservatórios hidrelétricos, os sinais são de que o consumidor vai pagar ainda mais pela eletricidade. O Operador Nacional do Sistema Elétrica (ONS) já recorre às