Com dores, Pelé falta a entrevista de divulgação do filme de sua vida

Com dores, Pelé falta a entrevista de divulgação do filme de sua vida

Pelé cancelou nesta segunda-feira (16/10), participação na coletiva de imprensa do longa-metragem que conta sua vida, Pelé – O Nascimento de uma Lenda, que será lançado dia 26 nos cinemas

O Rei mandou avisar às 11h que não poderia comparecer ao cinema por problemas de saúde. A sessão de imprensa havia começado às 10h30 e a coletiva teria lugar logo após a exibição.

O jornal “O Estado de S. Paulo” conversou com o agente internacional de Pelé, Joe Fraga, e este disse que não havia motivo para preocupação. “Pelé é um senhor de 77 anos (na verdade, completa-os dia 23) e tem dias melhores outros piores. Fez duas cirurgias na bacia e hoje não se sentiu bem. Mandou dizer que todos que estão aqui moram em seu coração, mas não podia vir.”

De toda forma, mesmo sem a presença principal, a coletiva teve lugar. Além de Joe, estavam na mesa os atores Milton Gonçalves, que interpreta Waldemar de Brito, o descobridor do prodígio, e Leonardo Lima de Carvalho, que vive o jogador em sua infância, em Bauru. Também presente, o distribuidor Wilson Feitosa, responsável pelo lançamento nacional do filme.

Dirigido por dois norte-americanos, Jeffrey e Michael Zimbalist, Pelé – o Nascimento de uma Lenda conta a história do Rei desde as peladas em Bauru até a consagração internacional com a camiseta da seleção brasileira em 1958, na Suécia. Pelé tinha então apenas 17 anos e encantou a todos com sua genialidade precoce.

O filme apoia-se em fatos reais, mas toma liberdades com a biografia do atleta. Por exemplo, cria um antagonismo de infância com Mazzola, que mais tarde seria seu colega na seleção brasileira, dirigida por Vicente Feola (Vincent D’Onofrio).

Mas, basicamente, a história toda está lá. Mariana Nunes faz dona Celeste, a mãe que era contra o futebol e queria outro destino para o filho. Seu Jorge faz Dondinho, o pai, ex-jogador de bons recursos técnicos, porém vitimado por uma lesão no joelho. Outros elementos fundamentais do mito Pelé não são esquecidos. Como a promessa feita ao pai de que ganharia uma Copa para ele, em meio às lágrimas pela derrota diante do Uruguai em 1950. A infância pobre de engraxate, a bola de meia, a venda de amendoins (furtados) para comprar chuteiras, etc. tudo está lá e confere com a biografia do ídolo.

As encenações de partidas não se pretendem realistas e situam-se às vezes no domínio da fantasia. Pelé é visto como representante do estilo brasileiro de jogar, a “ginga”, entidade um tanto abstrata para os gringos e que, assim, merece certo didatismo visual. Apesar de alguns problemas e exageros, o filme emociona, porque a história de Pelé é mesmo de cortar qualquer coração de pedra.

O filme entra em cartaz no Brasil em cerca de 150 salas, a maior parte em versão brasileira, o que é um alívio. A cópia apresentada aos jornalistas foi com diálogos em inglês, o que causa um estranhamento muito grande. Pelé é internacional, mas é coisa nossa. Fala brasileiro.

Compartilhe
Previous EUA questionam eleições estaduais na Venezuela
Next Eleições! Por que o povo tem que sofrer até dezembro do ano que vem? Questiona Rui Costa; assista

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Entretenimento 0 comentários

Daniel é o novo líder do Big Brother Brasil 17

O participante Daniel conseguiu conquistar a liderança da semana na casa do Big Brother Brasil 17. Ao contrário das outras duas provas, que foram de resistência, desta vez, a definição

Entretenimento

Morre Jerry Adriani

O cantor Jerry Adriani, de 70 anos, morreu na tarde de hoje no hospital Vitória, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Adriani, cujo nome verdadeiro era Jair Alves de

Entretenimento

Luan Santana fecha São João da Bahia com show contagiante

Uma verdadeira multidão acompanha o show de Luan Santana na noite de domingo (25), na Praça João Martins, em Paripe, no Subúrbio Ferroviário de Salvador. O cantor encerra o São