“Proteção suprema”, diz Dallagnol no Facebook sobre decisão do STF

“Proteção suprema”, diz Dallagnol no Facebook sobre decisão do STF

O procurador da República Deltan Dallagnol, da Operação Lava Jato, declarou em sua página no Facebook que os políticos, agora, têm uma “nova proteção”. Ele comentou o julgamento do Supremo Tribunal Federal nesta quarta-feira, 11, que decidiu, por seis votos a cinco, que medidas cautelares impostas aos deputados e senadores terão de passar pelo crivo do Legislativo.

“Não surpreende que anos depois da Lava Jato os parlamentares continuem praticando crimes: estão sob suprema proteção”, ironizou o procurador.

“Parlamentares têm foro privilegiado, imunidades contra prisão e agora uma nova proteção: um escudo contra decisões do STF, dado pelo próprio STF”, postou Deltan.

O julgamento, que se arrastou por quase 12 horas, vale também em relação a medidas determinadas contra vereadores e deputados estaduais.

O procurador ressalvou a atuação de alguns ministros, como Edson Fachin e Luís Roberto Barroso, vencidos na votação. “Fica o reconhecimento à minoria (no Supremo) que vem adotando posturas consistentes e coerentes contra a corrupção, especialmente M. Fachin e Barroso.”

Compartilhe
Previous Paris quer proibir carros a diesel e gasolina
Next Ex-procurador e ex-ministro depõem em inquérito sobre áudio da JBS

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Câmara de Candeias aprova projeto de lei que impede apreensão de veículo com débito de IPVA

Um projeto aprovado pela Câmara de Vereadores de Candeias, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), vai proibir que proprietários de carros tenha os veículos apreendidos caso atrasem o pagamento do

Notícias

Bolsa Família pode incluir valor gasto com gás de cozinha

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, confirmou que a equipe econômica estuda medida para tentar reduzir o preço do gás de cozinha. “Estamos estudando, sim, e quando ficar pronto a

Notícias

STF julga possibilidade de candidatura avulsa na quarta-feira

Valéria, Modesto, Eduardo e André. Todos eles são brasileiros e nunca tiveram um mandato, mas alimentam o mesmo sonho: ser presidente da República. Isso mesmo, e a partir de 2018.