PF e Receita fazem operação contra venda de dados por servidores

PF e Receita fazem operação contra venda de dados por servidores

A Polícia Federal, em conjunto com a Corregedoria da Receita Federal do Brasil (RFB), deflagrou na manhã desta terça-feira (10/10) a Operação Spy, que apura a comercialização de dados extraídos de sistemas internos do Fisco. São cumpridos mandados no Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Paraná e Rio de Janeiro;

Cerca de 60 policiais federais e 10 servidores da Receita Federal cumprem oito mandados de prisão preventiva (três contra servidores públicos) e 12 de busca e apreensão. A investigação teve início em setembro de 2016, a partir de informações fornecidas pela Corregedoria da Receita Federal, que indicavam a atuação ilegal de funcionários do órgão.

Segundo a Polícia Federal, dados relacionados à atividade de comércio exterior eram extraídos de sistemas internos e repassados, mediante pagamento, por intermediários, a empresas que desempenham atividades de exportação ou importação.

As ordens judiciais foram decretadas pela 7ª Vara Federal de Porto Alegre e se destinam à obtenção de informações complementares sobre as práticas sob investigação, bem como para a garantia da ordem pública, da ordem econômica e por conveniência da instrução criminal. Os crimes investigados na Operação Spy são corrupção ativa e passiva, e lavagem de dinheiro.

Compartilhe
Previous Senadores avaliam emenda para revisar ordens do STF
Next Rui recebe comandante da Ronda Maria da Penha em bate-papo com internautas

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Nova lei municipal define exigência de atestado médico em academias de Salvador

Para garantir a segurança e a integridade física das pessoas que frequentam as academias de ginástica e afins em Salvador, uma lei municipal passa a exigir que estes estabelecimentos sejam

Política

PSD caminha para oficializar apoio a Alckmin, diz Kassab

O PSD caminha para sacramentar o apoio à pré-candidatura do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) nas eleições presidenciais. De acordo com o ministro de Ciência e Tecnologia e

Notícias

Polícia Federal pede mais 60 dias para investigar Michel Temer

A Polícia Federal pediu mais 60 dias para investigar o presidente Michel Temer no âmbito do inquérito dos portos. O pedido depende de parecer da procuradora-geral da República, Raquel Dodge,