Bancada de Oposição na Assembleia presta solidariedade ao prefeito e a família Magalhães pela morte de D. Arlete

Bancada de Oposição na Assembleia presta solidariedade ao prefeito e a família Magalhães pela morte de D. Arlete

A Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa da Bahia se solidariza com a família Magalhães e com o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) pelo falecimento de Arlete Maron Magalhães, na manhã de hoje (07/10) aos 86 anos.  Em nome da Bancada, o líder, deputado estadual Leur Lomanto Jr. (PMDB), enfatizou a história de dedicação a família e amor ao trabalho social de D. Arlete, com destaque para a sua atuação a frente das Voluntárias Sociais da Bahia, enquanto primeira dama do estado. “Lamentamos esse momento de tristeza e nos solidarizamos com os familiares, amigos e entes queridos de D. Arlete. Que a dor da perda seja substituída pela imensa saudade e pelas boas lembranças daquela que soube conduzir a vida com ética, amor e serviço ao próximo”, afirmou o líder.  D. Arlete era viúva do falecido senador Antônio Carlos Magalhães e avó do prefeito ACM Neto. O sepultamento está marcado para as 17 h deste sábado no cemitério do Campo Santo, na capital baiana.

Compartilhe
Previous Líderes petistas repudiam vetos de Temer ao texto da reforma política
Next D. Arlette vivia a vida de seus filhos e netos, lembra ACM Neto no velório da avó; assista

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Municípios

Acusado de matar técnica de enfermagem durante assalto em Itabuna é solto

O homem acusado de matar a técnica de enfermagem Maria Ferreira Lima, durante um assalto no bairro de Fátima, em Itabuna, passou menos de dois meses preso no Conjunto Penal

Notícias

Agência de risco retira observação negativa de crédito do Brasil

A agência de classificação de risco Standard & Poor’s comunicou nesta terça-feira (15/8) que retirou a nota de crédito soberano do Brasil do status de observação com perspectiva negativa (CreditWatch).

Notícias

Escassez de alimentos provoca 5 vezes mais saques na Venezuela

De dentro da sufocante cabine de um caminhão, Carlos Del Pino presenciou como um de seus colegas foi interceptado no meio de uma rua por cerca de 20 pessoas, algumas