Bancada de Oposição na Assembleia presta solidariedade ao prefeito e a família Magalhães pela morte de D. Arlete

Bancada de Oposição na Assembleia presta solidariedade ao prefeito e a família Magalhães pela morte de D. Arlete

A Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa da Bahia se solidariza com a família Magalhães e com o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) pelo falecimento de Arlete Maron Magalhães, na manhã de hoje (07/10) aos 86 anos.  Em nome da Bancada, o líder, deputado estadual Leur Lomanto Jr. (PMDB), enfatizou a história de dedicação a família e amor ao trabalho social de D. Arlete, com destaque para a sua atuação a frente das Voluntárias Sociais da Bahia, enquanto primeira dama do estado. “Lamentamos esse momento de tristeza e nos solidarizamos com os familiares, amigos e entes queridos de D. Arlete. Que a dor da perda seja substituída pela imensa saudade e pelas boas lembranças daquela que soube conduzir a vida com ética, amor e serviço ao próximo”, afirmou o líder.  D. Arlete era viúva do falecido senador Antônio Carlos Magalhães e avó do prefeito ACM Neto. O sepultamento está marcado para as 17 h deste sábado no cemitério do Campo Santo, na capital baiana.

Compartilhe
Previous Líderes petistas repudiam vetos de Temer ao texto da reforma política
Next D. Arlette vivia a vida de seus filhos e netos, lembra ACM Neto no velório da avó; assista

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

TRF-4 nega pedido para apreender passaporte de Lula

O desembargador João Pedro Gebran Neto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), em Porto Alegre, negou nesta sexta-feira (26/1) pedido feito por três advogados para apreender o passaporte

Notícias

Rombo nas contas do Governo cresce com inclusão do FIES no cálculo

O Tesouro Federal divulgou, na última terça-feira a revisão do déficit primário de 2016, que passou de R$ 154,2 bilhões para R$ 162,3 bilhões após inclusão no cálculo das operações

Notícias

PSB tem novo presidente em Feira de Santana

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) tem novo comando em Feira de Santana. Após três meses sem direção, em virtude da morte do então presidente Sinval Galeão, a Comissão Municipal Provisória