Deputado americano contrário ao aborto pede à amante que faça um

Deputado americano contrário ao aborto pede à amante que faça um

O jornal Pittsburgh Post-Gazette revelou a história de um deputado republicano contrário ao aborto pedindo que a amante fizesse um, após pensar que a mulher estivesse grávida.

A reportagem obteve uma mensagem que o político Tim Murphy, da Pensilvânia trocou em 25 de janeiro com Shannon Edwards. De acordo com o jornal, Shannon relata no texto a forma como o deputado tratou sua suposta gravidez.

“(Murphy) não teve problema nenhum em colocar sua posição pró-vida de lado quando me pediu para abortar nosso filho na semana passada, quando nós pensávamos que eu poderia estar grávida”, afirmou ela, segundo o jornal.

O deputado se defendeu afirmando que a mensagem com o pedido de aborto foi escrita por funcionários de seu gabinete. “Eu nunca escrevi isso. Meu pessoal faz isso. Eu li e estremeci. Eu disse a eles (pessoal) que não fizessem mais”, afirmou.

A mulher, contudo, descobriu que não estava grávida. A revelação foi feita na terça-feira (3/10), mesmo dia que a Câmara dos Deputados aprovou uma legislação republicana que pode tornar crime o aborto a partir da 20ª semana de desenvolvimento do feto.

Compartilhe
Previous Governo quer deixar MP do Refis caducar
Next Só pautarei reforma política se tiver acordo, diz Eunício

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Michel Temer fala ao Brasil: “Não renunciarei”; assista

O presidente Michel Temer (PMDB) anunciou em pronunciamento na tarde desta quinta-feira que não vai renunciar à presidência da República. “Não renunciarei. Sei o que fiz”, afirmou Temer, afastando a

Política

FHC defende que mudanças no sistema eleitoral deveriam começar por vereadores

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) disse nesta quinta-feira, 17, que as mudanças no sistema eleitoral do País deveriam começar nos municípios, que serviriam como um laboratório. “Por que não

Política

Delator da J&F desafia Funaro sobre dinheiro no bunker

O diretor jurídico da J&F Francisco de Assis e Silva rebateu nesta quarta-feira, 29, a versão de Lúcio Funaro sobre as notas do bunker dos R$ 51 milhões atribuídos a