Custo da cesta básica cai em 20 capitais em setembro, segundo o Dieese

Custo da cesta básica cai em 20 capitais em setembro, segundo o Dieese

A cesta básica ficou mais barata em setembro em 20 das 21 capitais brasileiras analisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socieconômicos (Dieese). Segundo a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, divulgada hoje (4), as reduções mais expressivas no custo da cesta básica ocorreram na região Nordeste do país: Maceió (-5,22%), Fortaleza (-4,85%) e João Pessoa (-4,62%). A única alta ocorreu em Campo Grande (1,17%).

A cesta básica mais cara é a encontrada em Porto Alegre, ao custo médio de R$ 436,68, seguida por São Paulo (R$ 421,02) e Florianópolis (R$ 419,17). Já as mais baratas são as de Salvador (R$ 318,52), Natal (R$ 323,90) e Recife (R$ 328,63).

Considerando a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve suprir as necessidades de uma pessoa e de sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o Dieese estimou que o salário mínimo, em setembro, deveria ser de R$ 3.668,55, valor 3,92 vezes superior ao mínimo atual de R$ 937.

Compartilhe
Previous Receita registra movimentação suspeita em contas de 'laranja' de Lula
Next Congresso promulga emenda que veda coligações e restringe propaganda

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Temer cancela café da manhã com Alckmin, Doria e pastores evangélicos

O presidente Michel Temer cancelou a participação em um café da manhã nesta quinta-feira, 17, com pastores de igrejas evangélicas. No evento, Temer era aguardado pelo governador de São Paulo,

Política

1ª sessão para contar prazo de defesa de Temer é adiada, sem quórum

Com apenas 19 dos 513 deputados federais presentes na Câmara no início da tarde desta segunda-feira (3/7), a sessão plenária da Casa não chegou a ser aberta, uma vez que

Notícias

Reforma da Previdência: Planalto avança sobre indecisos para ganhar fôlego

Para conseguir colocar a reforma da Previdência em votação na Câmara dos Deputados na próxima terça-feira, como pretende, o governo precisará conquistar uma média de cinco votos por dia até