Consulta do Abono Salarial do PIS/Pasep pode ser feita por aplicativo

Consulta do Abono Salarial do PIS/Pasep pode ser feita por aplicativo

O Ministério do Trabalho lançou um aplicativo para celulares para a consulta ao saque do Abono Salarial do PIS/Pasep – Ano Base 2015. Segundo levantamento da Coordenação do Abono Salarial do MTb, mais de 1,46 milhão de pessoas ainda não sacaram os recursos disponíveis, que chegam a R$ 1,018 bilhão.

O prazo para os saques, que terminaria no dia 30 de junho, foi prorrogado e vai até 28 de dezembro deste ano. O aplicativo está disponível para o sistema operacional Android, e pode ser baixado na Playstore.

A consulta individual também pode ser feita pelo link: verificasd.mtb.gov.br/abono .

O volume já retirado, contando todo o calendário de pagamento, iniciado em 2016, chega a R$ 15,99 bilhões. Foram beneficiados 24,26 milhões de trabalhadores, o equivalente a 93,98% do total previsto.

A decisão de prorrogar o prazo para a retirada do Abono Salarial de 2015 foi anunciada pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), no final de junho. Pela decisão, tem direito ao dinheiro quem estava inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos; trabalhou formalmente por pelo menos 30 dias em 2015, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos; e teve seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Compartilhe
Previous Imbassahy é visto como opção do PMDB-BA para o Senado
Next Pedido de prisão contra Aécio será analisado nesta terça no STF

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Salvador: Emoção e esperança marcam inauguração da USF Menino Joel pela Prefeitura

Emoção, esperança e realização. A mistura de sentimentos marcou a inauguração da Unidade de Saúde da Família (USF) Menino Joel, construído pela Prefeitura no Nordeste de Amaralina e que atenderá

Notícias

Michel Temer usou jatinho particular de Joesley Batista, diz delator

O dono da JBS, Joesley Batista, apresentou mais um prova de sua relação com o presidente da República, Michel Temer (PMDB). Dessa vez, um diário de bordo com a rotina do

Política

Janot chama de imoral plano de previdência de deputados

“É inadmissível elaboração de leis imorais, cujo único propósito seja privilegiar alguns poucos indivíduos, locupletando-os injustificadamente à custa das pessoas que sustentam financeiramente o Estado com seu trabalho”. Assim o