OAB suspende registro do ex-procurador Marcelo Miller por 90 dias

OAB suspende registro do ex-procurador Marcelo Miller por 90 dias

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) oficializou nesta quarta-feira (13/9) a suspensão do registro profissional do ex-procurador do Ministério Público Federal (MPF) Marcelo Miller. A medida cautelar tem prazo de 90 dias.

A decisão foi tomada após esclarecimentos prestados por Miller sobre a suspeita de atuação em favor do grupo J&F, quando ainda estava no MPF, afirmou o presidente do Conselho Nacional da OAB, Claudio Lamachia. “Se ficar provado, houve um exercício da advocacia de forma irregular, enquanto ele ainda era membro do Ministério Público”, disse.

Segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Marcello Miller atuou em favor do grupo J&F durante o período em que trabalhou como procurador, no MPF. Janot pediu a prisão do ex-procurador, que foi rejeitada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin.

O procurador-geral afirmou que e-mails de um escritório de advocacia mostram que Miller auxiliou a empresa no acordo de leniência com o órgão. A defesa do ex-procurador nega que ele tenha atuado como intermediário do grupo J&F ou qualquer empresa.

O presidente do Conselho Federal da OAB disse que o processo corre em segredo de justiça no Tribunal de Ética e Disciplina da seccional da ordem no Rio de Janeiro, onde Miller é registrado. Também está em investigação se o ex-procurador cumpriu quarentena ao deixar o Ministério Público.

O ponto central, segundo Lamachia, é a suspeita de que ele tenha exercido a advocacia irregularmente, quando ainda estava no MPF. “O ponto fundamental não está na quarentena, está no exercício profissional da advocacia, quando ele ainda era membro do Ministério Público.”

A suspensão por 90 dias pode ser prolongada se o processo não for concluído dentro desse prazo, mas a OAB tem a expectativa de que o trâmite seja célere.

Defesa
Por meio de nota, a defesa de Marcelo Miller negou que o advogado tenha sido ouvido no processo e afirmou que a suspensão fere o estatuto da OAB.

“Em relação ao pedido de suspensão cautelar do direito de advogar por 90 dias, a defesa de Marcello Miller esclarece que tal fato está em total desacordo com o estatuto da OAB (lei 8.906/94). No artigo 70, parágrafo terceiro, eventual suspensão preventiva só pode ocorrer mediante sessão especial, assegurado ao advogado o direito de manifestação, o que não ocorreu. Marcello Miller não foi notificado do processo de suspensão, muito menos foi ouvido”, diz a nota.

Compartilhe
Previous Lava Jato: tribunal de 2ª instância decide se Dirceu volta para prisão
Next Fábio Ramalho xinga Imbassahy na Câmara e diz que ministro trata mal deputados

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Cotidiano

Pai grava abuso da filha pelo padrasto com câmera escondida

Câmeras de segurança flagraram uma menina de 13 anos sendo abusada pelo padrasto, de 25 anos, enquanto dormia, em Tatuí (SP). O pai da vítima afirmou que a filha já tinha

Notícias

Câmara aprova Projeto de Lei que prevê negociação coletiva no serviço público

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou hoje (26) o Projeto de Lei (PL) 3831/15, que estabelece normas para a negociação coletiva no serviço público

Notícias

Temer reúne base para retomar votações no Congresso

O presidente Michel Temer reuniu hoje (20) a base aliada do governo após o pronunciamento no qual rebateu as denúncias do empresário Joesley Batista, que fez acordo de delação premiada