Anulação de acordo vai gerar insegurança a delatores, diz advogado

Anulação de acordo vai gerar insegurança a delatores, diz advogado

O criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, assumiu a defesa do empresário Joesley Batista e do executivo Ricardo Saud, do grupo J&F, dono da JBS. Ele irá atuar na defesa dos dois, presos neste domingo (10/9), perante o Supremo Tribunal Federal (STF) junto com os advogados que já atuam no caso.

Em nota, Kakay indicou que a quebra do acordo pela Procuradoria-Geral da República (PGR) vai causar “insegurança geral” para todos os delatores. Ele afirma que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, não pode agir com “deslealdade”, pois os empresários cumpriram todas as obrigações que foram impostas pelo acordo de colaboração.

“Não pode o Dr. Janot agir com falta de lealdade e, insinuar que o acordo de delação foi descumprido. Os clientes prestaram declarações e se colocaram sempre à disposição da Justiça”, escreveu Kakay. Janot anunciou na segunda-feira (4/9) que abriu um procedimento de revisão do acordo dos delatores da JBS.

O criminalista é um crítico da forma como a delação premiada tem sido usada na Lava Jato. Segundo ele, a ação da PGR neste caso “é mais um elemento forte que levará à descrença e à falta de credibilidade do instituto da delação”.

“Sempre ressalto a importância deste instituto, mas é necessário que seja revisto o seu uso. A proposta de quebra unilateral, sem motivo, por parte do Estado, no caso representado pelo procurador-geral, gera uma insegurança geral para todos os delatores. Meus clientes agiram com lealdade e continuam à disposição do Poder Judiciário ressaltando a confiança no Supremo Tribunal”, afirmou Kakay.

Compartilhe
Previous Defesa diz que Joesley e Saud “não mentiram nem omitiram informações”
Next Trump declara estado de “grande desastre” na Flórida

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Procuradores saem em defesa de resolução que dá “superpoder” ao MP

Em carta, os membros do Ministério Público Federal que participaram do 34ª Encontro Nacional dos Procuradores da República, saíram em defesa de resolução assinada pelo ex-procurador-geral Rodrigo Janot, pouco antes

Política

A jogada de Paulinho da Força para a volta do Imposto sindical

O presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva, desistiu de cobrar do presidente Michel Temer a edição de medida provisória para recriar o imposto sindical, extinto com a

Notícias

Aprovação da reforma da Previdência é real, diz Meirelles

Apesar das dificuldades, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que a possibilidade de aprovação da reforma da Previdência é algo real. “A trajetória do gasto com a previdência é