Marina Silva sai da toca e diz que eleição de 2018 será a mais difícil

Marina Silva sai da toca e diz que eleição de 2018 será a mais difícil

Lula, Doria, Alckmin, Ciro, Bolsonaro. Os cinco políticos têm percorrido o país em campanha aberta à Presidência. Faltava Marina Silva, que deve concorrer ao Planalto pela terceira vez em 2018.

Para alívio dos aliados, a ex-senadora começa a sair da toca. Nesta semana, ela voltou a ter agenda de candidata. Na quarta, reapareceu no Congresso para um ato em defesa da Amazônia. Foi cortejada por deputados e posou para dezenas de selfies.

No sábado, Marina vai a Macapá para outra manifestação a favor da floresta. No domingo, retorna a Brasília para a Virada do Cerrado. Entre os compromissos, ela reservou dois dias para reuniões em São Paulo.

A quem reclama de seu sumiço, a ex-senadora diz que não tem mais cargo público e que nunca deixou de se expressar nas redes sociais. “Já tem muita gente repetindo o meu discurso por aí”, brinca. “Toda hora tem alguém falando em nova política, dizendo que não é de esquerda nem de direita, tirando o “P” do nome do partido…”, enumera.

Marina ainda não assume que é candidata. Mesmo assim, critica possíveis adversários e reconhece que deve enfrentar mais dificuldades do que em 2010 e 2014. “Com certeza, será a eleição mais difícil”, avalia.

A ex-senadora diz que as mudanças na lei eleitoral sufocaram o crescimento da Rede Sustentabilidade. Ela prevê que terá apenas 12 segundos de propaganda caso não consiga atrair outras siglas. Também corre o risco de ficar fora dos debates de TV.

“Fizeram uma legislação para manter PT, PMDB e PSDB no poder. É uma cláusula de barreira para impedir a renovação na política”, critica.

Para romper o isolamento, Marina insiste que buscará alianças nos “núcleos vivos da sociedade”. “Mas isso é diferente de vestir um disfarce de não-político”, afirma. “A Dilma veio com o rótulo de gestora e olha o que aconteceu. Agora o discurso do Doria é muito parecido com o dela. Não é possível que o Brasil caia nisso de novo”, alfineta.

Compartilhe
Previous Para evitar a prisão, Mantega propõe acordo de delação
Next Salvador: Prefeitura entrega requalificação e mudanças viárias na ACM nesta segunda

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Cotidiano

No Brasil, 55% da renda ficam com 1% da população, aponta estudo

No Brasil, 55% das riquezas estão concentradas nas mãos de 1% da população, indica um relatório sobre desigualdade produzido por um grupo de 100 pesquisadores de 70 países que compara de maneira inédita

Política

Deputados comentam decisão do STF sobre acabar direito de greve dos servidores policiais; assista

Em conversa com o Classe Política nesta quarta-feira(05), o Presidente da Comissão de Direitos Humanos na Assembleia Legislativa e Segurança Pública, Marcelino galo(PT), e o vice-presidente, Soldado Prisco (PSDB), comentaram a

Economia

Governo deve anunciar nesta segunda-feira mudança da meta fiscal

O presidente Michel Temer e os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira, terão nesta segunda-feira (14/8) a reunião final para definir em quanto vai aumentar a meta