Amazonino Mendes é eleito governador do Amazonas

Amazonino Mendes é eleito governador do Amazonas

Com 95,95% das urnas apuradas, Amazonino Mendes (PDT) está matematicamente eleito para governar o Estado do Amazonas pela quarta vez. O pedetista venceu Eduardo Braga (PMDB) no segundo turno da eleição suplementar realizada neste domingo, 27.

O Amazonas realizou uma nova eleição porque no dia 4 de maio o plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou os mandatos do então governador, José Melo (PROS), e de seu vice, José Henrique de Oliveira (SD), por compra de votos na eleição de 2014. Amazonino Mendes vai comandar o Estado em ‘mandato tampão’ de 14 meses.

Tanto no primeiro quanto no segundo turno, as votações foram marcadas pelas altas taxas de abstenção, em torno dos 25% nos dois pleitos. Neste domingo, as abstenções (25,46%) e os votos em branco (4,16%) e nulos (20,46%) somaram 50%.

O Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE-AM) definiu que a diplomação dos eleitos será realizada no próximo dia 2 de outubro.

Compartilhe
Previous Homem surta e joga gasolina no próprio corpo Vitória da Conquista
Next Temer defende financiamento empresarial a determinado partido ou candidato

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Secretaria de Justiça apresenta ações para Comissão de Direitos Humanos

O secretário de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social do Estado, Carlos Martins, apresentou, nesta terça-feira (30), aos deputados membros da Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia

Economia

Brasil e México avaliam nesta sexta-feira ampliação do comércio bilateral

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, analisa hoje (24), em reunião com o secretário de Relações Exteriores do México, Luis Videgaray, as negociações comerciais entre os dois países. Um

Política

‘Caixa 2 é crime grave’, diz vice-procurador-geral eleitoral

Em meio a movimentações no Congresso para tentar articular anistia a punições para doação não declarada de campanha, o vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, disse em entrevista que não vê “como