MEC eleva limite de empenho e libera mais verbas para universidades

MEC eleva limite de empenho e libera mais verbas para universidades

O Ministério da Educação (MEC) anunciou hoje (11) um aumento de cinco pontos percentuais no limite de empenho para custeio e investimento de todas as universidades e institutos federais. Assim, o limite do custeio, utilizado para a manutenção das instituições de ensino, passou de 70% para 75% e o limite de capital, usado para adquirir equipamentos e fazer investimentos, foi de 40% para 45%.

Para garantir o aumento, o MEC liberou R$ 450 milhões para universidades e institutos federais, elevando o total disponibilizado este ano para R$ 4,8 bilhões.

O aumento foi anunciado pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, em reunião com a nova diretoria da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior no Brasil (Andifes). Segundo o ministro, a meta do governo é concluir o ano com a liberação de 100% do limite de custeio, como ocorreu no ano passado.

Para 2017, o limite de empenho previsto inicialmente para as universidades é de 85% do valor previsto para despesas de custeio e de 60% para despesas de capital. No entanto, o MEC diz que está trabalhando para aumentar esse limite, assim como fez em 2016, quando, mesmo após o bloqueio [de verbas] feito pelo governo anterior, conseguiu liberar 100% de custeio para as universidades.

Nos últimos meses, diversas universidades federais vêm relatando dificuldades financeiras, especialmente com despesas de custeio.

Recursos

Do total de R$ 450 milhões liberados, as universidades federais receberão R$ 254,94 milhões para custeio e R$ 57,11 milhões para investimentos, somando R$ 312 milhões. Já os centros federais de educação tecnológica, o Colégio Pedro II e os institutos federais terão R$ 110 milhões para custeio e R$ 28 milhões para investimento, perfazendo R$ 138 milhões.

Os hospitais de ensino, por sua vez, receberão adicional ao limite de empenho no valor de R$ 897 mil para custeio e R$ 8,32 milhões para investimento, totalizando R$ 9,21 milhões.

O Instituto Nacional de Surdos, o Instituto Benjamin Constant e a Fundação Joaquim Nabuco terão limite de empenho adicional de R$ 3,83 milhões para custeio e R$ 535,7 mil para investimento, alcançando R$ 4,37 milhões no total.

Compartilhe
Previous Deputado que deu parecer contra Temer pede desfiliação do PMDB
Next Dallagnol critica fundo eleitoral e pede nas redes: #NãoReformaTapetão

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias 0 comentários

SSP divulga novas cartas do Baralho do Crime

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) divulgou, nesta terça-feira (12), os novos rostos que estampam o Baralho do Crime, ferramenta lúdica utilizada pela pasta para que a população possa colaborar

Política

Falta de servidores no Ministério da Agricultura pode afetar economia, alerta Bacelar

Representantes do Sindicato dos Auditores Fiscais Agropecuários estiveram no gabinete do deputado federal Bacelar (Podemos-BA), em Brasília, para pedir apoio na contratação de novos servidores para o Ministério da Agricultura,

Política

Que desonestos respondam pelos atos, diz Calero após prisão de Geddel

No dia em que o ex-ministro da Secretaria de Governo de Michel Temer (PMDB) Geddel Vieira Lima foi preso, o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero publicou em suas redes sociais