“Moro é parcial e sua decisão é política”, analisa Galo sobre condenação de Lula

A condenação do ex-presidente Lula, sem que houvesse provas que justificasse a decisão, é uma ação política do juiz Sergio Moro, o que atesta, mais uma vez, sua parcialidade. A avaliação é do deputado estadual Marcelino Galo (PT), que considera a ação tomada em Curitiba “como parte do roteiro do golpe” que derrubou Dilma Rousseff da presidência da República. O parlamentar acrescenta ainda que a decisão do magistrado busca tirar o foco da opinião pública um dia depois da reforma trabalhista ser aprovada pelo Senado Federal.

“Por todo o país as pessoas percebem que o golpe segue seu roteiro: retirar Dilma em um golpe, blindar os tucanos e o governo Temer, abafar a Lava Jato, destruir os direitos do Povo brasileiro e tentar inviabilizar a candidatura de Lula em 2018. O povo não é bobo e percebe que não é uma coincidência a condenação de Lula ser divulgada logo após a aprovação da reforma trabalhista”, enfatiza. “O juiz Sergio Moro condenou Lula, mesmo sem provas. Isso não é uma novidade, afinal, todo mundo sabe da parcialidade deste juiz. Entretanto, essa condenação, ao contrário do que esperam os detratores de Lula, está gerando uma grande corrente de solidariedade ao melhor presidente da história do Brasil”, afirma Galo, ao considerar que o ex-presidente Lula “sairá ainda maior dessa injustiça”.

Compartilhe