Confusão no plenário suspende votação da reforma trabalhista

Confusão no plenário suspende votação da reforma trabalhista

O presidente do Senado, senador Eunício Oliveira (PMDB/CE), suspendeu nesta terça-feira a sessão aberta para votar a reforma trabalhista, já aprovada pela Câmara. A decisão  foi em retaliação às senadoras da oposição Fátima Bezerra (PT/RN),  Gleisi Hoffmann (PT/PR) e  Vanessa Grazziotin (PCdoB/AM) por ocuparem a Mesa do plenário, onde fica a cadeira do senador presidente da Casa. Elas se recusarem a deixar o local.

As senadoras abriram a sessão na manhã desta terça-feira, aproveitando a ausência de Eunício, com discursos em protesto à reforma trabalhista. O regimento interno da Casa permite que qualquer senador abra a sessão, desde que haja quórum.

Contrárias à reforma trabalhista, as senadoras aproveitaram a primeira hora da sessão para passar a palavra para outros parlamentares que discursavam contra a proposta do governo, aprovada na Câmara.

A sessão foi aberta pela senadora Fátima Bezerra por volta das 11 horas. Às 12h16, quando Eunício chegou ao plenário, ele quis ocupar a cadeira de presidente da Casa, mas a senadora, que estava sentada no lugar dele, não quis se levantar da cadeira. Eunício reagiu tentando tirar o microfone da senadorae, após essa confusão, suspendeu a sessão.

Compartilhe
Previous Apoio a Bolsonaro é 'fruto do ódio', diz Lula
Next Temer não pode se ocultar em manobras ilícitas, diz presidente da OAB

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Municípios

Feira de Santana: Prefeitura dará até 100% de desconto para quitação de débitos

Na próxima segunda-feira (27), a Prefeitura de Feira de Santana dará início à Semana de Conciliação Tributária, campanha destinada à negociação de débitos relativos a impostos e tributos municipais. Os

Notícias

Lava Jato: Moro marca novo depoimento de Lula para 13 de setembro

O juiz federal Sérgio Moro marcou para 13 de setembro o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no processo da Operação Lava Jato que investiga suspeitas sobre

Política

Renan diz que MPF não pode ser medido pela ‘régua imuda’ de Janot e outros procuradores da Lava-Jato

Janot agora quer entrar no Conselho Nacional do Ministério Público. Ele e sua turma foram pegos fazendo jogo duplo e com a mão na botija. Mesmo assim, o ex-procurador quer